Empreenda como uma menina

Por Renato Ribeiro | 12 de Março de 2020 às 20h10
Unsplash

Não sou um bom conhecedor de história, mas sinto que houve um grande erro de percurso relacionado à forma com que as mulheres são tratadas pela sociedade. Talvez por uma condição genética o homem, com uma musculatura adaptada a condições hostis, tenha se destacado como líder e isso tem sido repassado entre gerações. Mas precisamos urgentemente mudar isso!

Já não utilizamos a força física para garantir a comida, a moeda atual é o conhecimento. Homens e mulheres possuem os mesmos instrumentos de batalha, mas não as mesmas condições de uso. Ao longo do tempo, mulheres têm quebrado limites e rompido barreiras impostas pela sociedade: Joana D'Arc, Marie Curie, Indira Gandhi, Madre Teresa, dentre outras inúmeras guerreiras espalhadas pelo mundo, brutalmente silenciadas e mantidas no anonimato.

Quantas mentes brilhantes ainda perderemos?

Em um mundo globalizado, em plena Era Pós-Digital, mulheres ainda sofrem inúmeros tipos de assédio, prejudicando a sua criatividade e posicionamento dentro do mercado de trabalho. Empreendedoras relatam que "investidores" oferecem apoio para suas startups em troca de "favores" sexuais. Infelizmente esse tipo de problema é algo presente e comum na vida de uma mulher adulta.

Trabalho diretamente com mulheres e é inquestionável o quão poderosas são, mas o quanto se sentem vulneráveis e fragilizadas pelo sistema. Existe uma cultura ultrapassada que é semeada desde a infância feminina – em alguns casos, com o apoio consciente ou inconsciente de familiares e amigos –, onde são tratadas como uma “menina". O que significa fazer as coisas tipo menina? Assista ao vídeo produzido pela Always e perceba como pequenas mudanças de comportamento dentro do nosso ciclo de convivência podem fazer toda a diferença.

Neste mês da mulher, quero reforçar o objetivo de fomentar e aumentar ainda mais a presença de mulheres no ecossistema de empreendedorismo brasileiro. Desta forma, convidei algumas empreendedoras de sucesso para produzirem os próximos dois artigos. Conteúdos criados por elas para inspirar e empoderar outras mulheres. Se você apoia essa causa, compartilhe!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.