Com manutenção de crescimento, Amazon pode valer U$ 1 trilhão em agosto

Por Wagner Wakka | 09 de Março de 2018 às 14h24
TUDO SOBRE

Amazon

A Amazon está na corrida para bater a Apple e se tornar a primeira empresa com valor acima de 1 trilhão de dólares. Atualmente, a dona do iPhone figura no topo da lista das mais valiosas, capitalizada em US$ 893 bi. Já a empresa de Jeff Bezos atualmente vale US$ 752 bilhões, 141 bilhões a menos que a Apple. Como que o homem mais rico do mundo pretende tirar esta diferença?

A Amazon viu um crescimento de 83% sem seus papéis no último ano. Muito disso se deu por conta do crescimento de receita por conta de mudanças no varejo online. Ainda, a empresa passou a trabalhar também no ramo de operações em nuvem, com o Amazon Web Service no topo do mercado.

Outra movimentação da companhia é para o ramo de saúde. Em janeiro, houve o anúncio de que ela se juntaria a Berkshire Hathaway e a JPMorgan Chase & Co, duas gigantes do sistema nos EUA, para criar uma empresa e diminuir os custos de seus funcionários com saúde.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Somente no mês passado a Amazon alcançou o pódio de empresas mais valiosas do mundo. Ela desbancou o terceiro lugar da Microsoft. Atualmente, além da Apple, apenas a Alphabet também faz parte deste time. A holding detentora da Google tem valor de mercado de 783 bilhões de dólares e teve crescimento de 33% no último ano, menos que a Amazon.

A estimativa do mercado é que, se mantiver este crescimento, a empresa de Bezos deve alcançar a marca de US$ 1 trilhão já em agosto deste ano, com a Apple atingindo este número uma semana depois. Já o Alphabet, pelas previsões, deve bater o trilhão apenas em 2019. Contudo, é importante lembrar que tais estimativas são baseadas no crescimento atual e não em projeções futuras.  

Outras batalhas

A Amazon, Apple e Alphabet (aqui através da Google) já batalham por mercado há tempos. A varejista, por exemplo, já retirou das lojas virtuais produtos tanto da Apple quanto da Google. Ontem mesmo foi divulgada a notícia de que Chromecasts não estavama mais diponíveis para venda na Amazon, por conta de desacordo entre as duas gigantes desde 2015. A Googe chegou a retirar os aplicativos do Youtube dos gadgets da Amazon, como o Fire TV.

Fonte: Gadgets 360

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.