Alan Turing, gênio da computação, estampará a nota de £50 no Reino Unido

Por Rafael Arbulu | 15 de Julho de 2019 às 13h13
Tudo sobre

Alan Turing

Saiba tudo sobre Alan Turing

Alan Turing, o gênio matemático creditado como o pai das Ciências da Computação, será o rosto a estampar a nova nota de £50 do Reino Unido, segundo anúncio feito pelo Banco da Inglaterra. A seleção do gênio dos primeiros anos do século XX foi feita entre milhares de nomes de peso sugeridos pelo público britânico.

“Turing foi um matemático espetacular, cujo trabalho trouxe um impacto enorme em como vivemos hoje”, disse o governador do Banco da Inglaterra, Mark Carney. A posição de “governador” do banco é tida como a mais alta na hierarquia da instituição. “Como o pai das Ciências da Computação e inteligência artificial, as contribuições de Alan Turing foram longínquas e inovadoras. Sua genialidade residia em uma habilidade única de relacionar o filosófico e abstrato em coisa práticas e concretas. E seu legado continua a crescer ao nosso redor. Turing é um gigante em cujos ombros nós agora estamos em pé”, continuou Carney.

Turing tem em seu maior crédito a quebra do chamado “Código Enigma” empregado pelos nazistas em comunicações ultrassecretas durante a Segunda Guerra Mundial. Tido como inquebrável, a tradução do código, feita por Turing, foi responsável por encurtar a duração do conflito global e um de seus pontos de virada, concedendo amplas vantagens de inteligência às forças aliadas contra o exército de Adolf Hitler. Essa história foi contada pelo filme O Jogo da Imitação, de 2014.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

“O design [da nota de £50] reconhece a espessura e variedade de suas contribuições”, explicou Carney. “A tabela é inspirada em seu trabalho em números computacionais, com o plano de fundo apresentando uma sucinta representação da ‘Máquina de Turing’, com a fita branca mostrando a data de nascimento de Turing em binário”.

(Imagem: Divulgação/Bank of England)

Alan Turing foi perseguido pelo governo britânico por ser homossexual, tendo recebido a famigerada castração química como punição por manter um relacionamento homoafetivo e condenado por “indecência severa” em 1952. Ele cometeu suicídio em 1954. No ano de 2009, o governo do Reino Unido pediu perdão pelo tratamento dispensado ao matemático, embora o perdão oficial de sua condenação tenha vindo apenas uma década depois.

Outros nomes que compunham a lista de candidatos para a nova nota foram: Mary Anning (paleontóloga que descobriu o primeiro fóssil de um ictiossauro), Paul Dirac (físico teórico), Rosalind Franklin (química responsável pela nossa compreensão do DNA e RNA, bem com vírus, carvão mineral e grafite), William Herschel (astrônomo e compositor alemão naturalizado inglês), Caroline Herschel (astrônoma, irmã de William), Dorothy Hodgkin (bioquímica responsável pelo desenvolvimento da cristalografia de raios-x, o que lhe conferiu um Nobel), Ada Lovelace (matemática e escritora responsável por escrever o primeiro algoritmo processado por máquina), Charles Babbage (físico, matemático, filósofo, engenheiro e inventor que trabalhou com Lovelace e criou a “Máquina Babbage”), Stephen Hawking (físico teórico e cosmólogo), James Clerk Maxwell (físico e matemático responsável pela versão final da teoria do eletromagnetismo), Srinivasa Ramanujan (matemático indiano sem formação acadêmica que contribuiu para a área de análise matemática e teorias numéricas), Ernest Rutherford (físico e químico neozelandês naturalizado britânico tido como o pai da física nuclear) e Frederick Sanger (bioquímico).

Fonte: Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.