Google quer melhorar qualidade da internet sem fio nas empresas

Por Redação | 22.05.2014 às 11:33

O Google tem um novo plano para melhorar a qualidade da internet e, dessa vez, os principais interessados devem ser os pequenos e médios negócios como consultórios, academias, restaurantes e escritórios menores. A ideia é otimizar a qualidade da internet sem fio já existente por meio de softwares baratos, que poderiam dar uma experiência melhor aos clientes do estabelecimento.

A informação foi publicada pelo TechCrunch e indica a criação de um sistema de subsídios que aproveitaria os planos de acesso já assinados pelos clientes para melhorar a qualidade deles e os tornar mais comerciais. Não se trata, por exemplo, da tão falada fibra ótica da empresa ou das redes instaladas e coordenadas pelo Google em estabelecimentos como o Starbucks nos Estados Unidos.

Apesar de não ter relação com outras iniciativas da empresa, é justamente o time do Fiber que está envolvido na empreitada. A ideia não é apenas melhorar a qualidade de acesso a comerciantes e empresários, mas também fomentar o uso de dispositivos mobile, uma categoria na qual o Android é dominante. Aumentar a utilização de celulares também significa que os usuários passarão mais tempo conectados a aplicativos do Google e, claro, gerarão mais renda para a companhia. Parece ser uma via de duas mãos, pelo menos na concepção do projeto.

O Google também estaria aplicando um sistema de integração entre todas essas redes disponíveis por aí. Como o login aconteceria por meio de uma conta da empresa, o usuário estaria habilitado a usar a conexão de qualquer lugar que utilize o sistema sem a necessidade de se conectar manualmente, com o celular e a própria rede agindo como conhecidos o tempo todo.

A ideia fundamental da companhia, nas palavras do TechCrunch, é “cobrir o mundo com conectividade”. É o que a empresa pretende fazer com seu Project Loon, por exemplo, que quer usar balões e drones para levar internet a áreas remotas do mundo e, agora, com esse novo projeto. Com isso, claro, o objetivo também é aumentar o número de clientes e ampliar o alcance de suas soluções.

Nesse caso específico, a existência de uma conexão sem fio onipresente poderia auxiliar nos serviços de publicidade da empresa. Por meio de geolocalização e rastreio de logins, por exemplo, seria possível obter informações sobre os estabelecimentos mais frequentados pelo usuário e entregar propagandas de acordo com esses dados. O único problema dessa prática, no entanto, é barreira da privacidade, que pode acabar não aceitando a ideia tão bem assim.

A ideia é completamente crível e se encaixa com o escopo do que o Google realmente poderia fazer. Apesar disso, nenhuma informação foi confirmada. Quando contatada, a empresa preferiu não comentar o assunto.