Com baixa demanda do Windows, lucro da Microsoft cai 10% no último trimestre

Por Redação | 27.01.2015 às 08:21
photo_camera Divulgação

A Microsoft anunciou nesta segunda-feira (26) os resultados financeiros referentes ao seu segundo trimestre do ano fiscal de 2015, que corresponde ao período que vai de outubro a dezembro do ano passado. A companhia obteve um lucro líquido de US$ 5,8 bilhões (US$ 0,71 por ação), o que representa uma queda de 10% na comparação com os US$ 6,5 bilhões (US$ 0,78 por ação) obtidos no mesmo trimestre de 2014. A receita, por sua vez, seguiu o caminho inverso e cresceu 8%, passando de US$ 24,5 bilhões para US$ 26,5 bilhões neste ano.

A receita obtida com hardware - setor que engloba as divisões do Xbox e do Windows - caiu 9%, reduzindo os US$ 4,4 bilhões do ano anterior para os US$ 4 bilhões atuais. A receita com dispositivos e licenciamento para consumo somou US$ 4,1 bilhões, queda de 25% em relação ao segundo trimestre do ano fiscal de 2014, quando totalizou US$ 5,5 bilhões. Já a receita com licenças comerciais somou US$ 10,6 bilhões e recuou 2% no comparativo ano a ano. Outras receitas relacionadas a licenças e a dispositivos e licenciamento foram as únicas que cresceram, 47% e 33%, respectivamente.

O crescimento na receita geral da companhia ocorreu principalmente pelas vendas na divisão de aparelhos de celular da Nokia, adquirida pela empresa no segundo semestre de 2012. Nos últimos três meses de 2014, foram vendidos 10,5 milhões de smartphones da família Lumia, o que gerou uma receita de US$ 2,3 bilhões. Para efeito de comparação, no mesmo período de 2013, quando a Nokia ainda não era parte integrante da Microsoft, a divisão registrou 8,2 milhões de unidades vendidas. A entidade destaca que os dispositivos de baixo custo foram os que mais ajudaram a alavancar os valores obtidos neste trimestre.

Outra peça que garantiu números positivos à empresa são os tablets da linha Surface. Mesmo com foco em mercados corporativos e determinadas profissões, o gadget gerou uma receita de US$ 1,1 bilhão, aumento de 24% em comparação com o mesmo período do ano anterior, impulsionada em especial pelo Surface Pro 3 e seus acessórios.

O Office também contribuiu para as receitas da companhia. Segundo a Microsoft, a receita vinda das vendas do Office 365 subiram 114% em comparação com o ano anterior. Atualmente, a plataforma de serviços e programas da gigante de Redmond conta com 9,2 milhões de assinantes, contra 7 milhões do mesmo período em 2013.

Já a divisão de consoles Xbox obteve resultados medianos. Somadas as unidades do Xbox One e do Xbox 360, foram vendidos 6,6 milhões de aparelhos até 31 de dezembro do ano passado, contra 7,4 milhões de 2013. Um índice acentuado de queda também pode ser notado na receita do Windows equipado em novos PCs, que caiu 13% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Logo após a divulgação do balanço financeiro nesta segunda-feira, as ações da Microsoft no after-hours trading, negociação após o fechamento da Nasdaq, atingiram US$ 45,55 - uma queda de 3,45%. Os resultados também não foram bem recebidos por Wall Street, mesmo que estivessem de acordo com as previsões dos investidores.