50% população mundial terá de usar óculos em 2050 por excesso de tecnologia

Por Redação | 24.02.2016 às 09:31
photo_camera Divulgação

Não é novidade para ninguém que a tecnologia trouxe poderosas evoluções ao longo dos últimos anos, especialmente para nós que estamos acompanhando esses processos. Só que tanto avanço também tem causado problemas que impactam diretamente o corpo humano, ou ainda: antecipado doenças e outras complicações características em idades mais avançadas. É o caso da nossa visão, uma das mais afetadas pelo excesso tecnológico.

E no que depender de um novo estudo, esse cenário tende a piorar nos próximos anos. Segundo uma pesquisa publicada no Opthalmology Journal, até 2050 cerca de 4,8 bilhões de pessoas - o que equivale a 49,8% da população mundial - terão algum tipo de deficiência visual que vai obrigá-las a usar óculos. O relatório indica que isto será resultado da exposição desenfreada às telas de tablets, smartphones, computadores e outros produtos eletrônicos.

Para efeito de comparação, em 2010, o número de pessoas com problemas visuais (a maioria com miopia) era de aproximadamente 2 bilhões, ou seja, 28,3% de todos os habitantes do planeta.

De acordo com os pesquisadores, isso acontece devido a "fatores ambientais, principalmente por mudanças no modo de vida das pessoas que resultaram em redução de tempo ao ar livre e aumento em atividades próximas ao trabalho". Neste caso, os cientistas afirmam que a proximidade com as telas dos gadgets também cresceu nas últimas gerações, o que, consequentemente, contribuiu para o aumento no número de pessoas com problemas visuais.

Os locais do globo que mais devem sofrer com miopia e outras doenças relacionadas à visão são países desenvolvidos na Ásia e Europa, além dos Estados Unidos. Estes lugares são mais propensos a ficar mais tempo na frente das telas porque lá a tecnologia se desenvolve mais rápido que nos países emergentes.

Em contrapartida a esse estudo, outra pesquisa realizada pela Ohio State University indica que "não existe nenhuma associação" entre o tempo em frente às telas e problemas visuais. Segundo Karla Zadnik, reitora da universidade e principal responsável pela pesquisa, foram analisados diferentes perfis em mais de 4.500 crianças nos últimos 20 anos e em nenhuma foi constatada essa relação que culpa a tecnologia por complicações na vista.

O único consenso entre ambos os estudos é de que crianças que passam mais tempo ao ar livre têm menos chances de desenvolver a miopia, mas ainda não foi detectado o que causaria essa proteção a mais, nem se ela está diretamente ligada ao tempo gasto em frente às telas dos eletrônicos.

Fonte: The Telegraph