10 dicas para não cair em ciladas na Black Friday

Por Redação | 23.11.2016 às 15:34

Em um ano ainda turbulento na economia brasileira, com impacto direto no nível de renda e emprego, muitos consumidores apertaram os gastos. Porém, um dia de promoções pode fazer com que isso mude. É a Black Friday. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), a data, que acontece no próximo dia 25 de novembro, deve movimentar R$ 2,14 bilhões. Esse valor representa uma alta de 18% quando comparado com a mesma data do ano passado.

Ainda de acordo com a ABComm, no total, a expectativa é que as lojas virtuais brasileiras recebam 7,63 milhões de pedidos, com ticket médio de R$ 280. As categorias mais buscadas devem ser celulares, eletrônicos, eletrodomésticos e informática. A estimativa leva em conta as compras realizadas entre os dias 24 de novembro (véspera) e 27 de novembro.

Especialistas afirmam que muitos consumidores utilizarão a data como uma forma de antecipar as compras de natal. "A expectativa é que os consumidores decidam aproveitar as promoções para adiantar a compra dos presentes de Natal", afirma Francisco Cantão, sócio-diretor da agência de marketing digital Proxy Media, idealizadora da ação Black Friday de Verdade.

Se por um lado a Black Friday é um dia de muitas promoções, por outro, é também de muito risco de cair em fraudes e ciladas. Para que isso seja evitado, selecionamos algumas dicas de especialistas para que os consumidores possam aproveitar o melhor dos descontos sem ter preocupação. Veja:

Monitore preços e evite promoções falsas

Verifique os preços cobrados com algumas semanas de antecedência. Isso pode ser feito por meio dos sites das empresas que participarão da Black Friday e de outros fornecedores, inclusive o evento, avalia Francisco Cantão, sócio-diretor da Proxy Media, agência que promove a ação Black Friday de Verdade. "Há sites comparadores de preços com o histórico dos valores praticados que ajudam a não cair na armadilha de promoções não tão vantajosas", afirma.

Procure produtos menos buscados

Além de monitorar os preços com antecedência, o consumidor também pode incluir na sua lista de produtos desejados aqueles que não têm procura tão alta, pois a chance destes entrarem em promoções são grandes, avalia o presidente da ABComm, Mauricio Salvador. "As melhores ofertas são sempre de produtos que chamamos “curva C”, ou seja aqueles produtos que não são os campeões de vendas. Os consumidores que fizerem suas listas de presentes baseando-se nesses tipos de produtos conseguirão as melhores ofertas", aconselha.

Atente-se a preços e fretes

É importante considerar que nem sempre o preço mais baixo deve ser o alvo de interesse dos consumidores, mas sim a oferta melhor. Quem avalia é Gabriel Trindade, gerente da EZ Commerce, empresa especializada em plataforma de lojas virtuais. "Muitas lojas derrubam o preço do produto, mas cobram um frete altíssimo para compensar. Portanto, considere o preço apenas o valor do produto e a oferta uma composição de produto mais o frete", aconselha o especialista. "Ao comparar, perceberá que a melhor posição em preço nem sempre é a da oferta, então faça a conta e evite o mais chamativo da vitrine, se este não for realmente a melhor oferta", complementa.

Cuidados com a promoções recebidas por e-mail

Ao receber um e-mail com promoções, a primeira coisa a verificar é o remetente. É importante que no e-mail do remetente conste, após o “@“, o domínio da empresa que está enviando a campanha. A dica é do Vinícius Correa, CEO da Mailbiz, empresa especializada em e-mail marketing para e-commerce. "Empresas que fazem ataques de 'phishing' costumam fraudar o remetente, utilizando e-mails inexistentes e domínios que não possuem qualquer relação com o nome da empresa que supostamente está enviando", diz. Além disso, é importante verificar também o conteúdo do e-mail. Se houverem produtos com preços muito abaixo da média, desconfie, diz o especialista. Atenha-se também aos links. Arquivos com extensões como .exe, .bat, .zip, .js, .php e .rar certamente representam fraude.

Relacione-se com o SAC da loja virtual

O consumidor deve se relacionar com o SAC da loja virtual, seja por chat, por e-mail ou por telefone. E é sempre bom ficar atento que a loja tenha canais de atendimento, aconselha o especialista da Proxy Media. "O consumidor deve entrar em contato sempre que houver dúvidas na escolha do produto ou até no momento da compra de fato, como a não concretização da operação por falha do sistema ou cartão de crédito não autorizado", afirma Cantão.

Priorize cartão ao boleto

É natural que grande parte das ofertas seja com pagamento à vista, uma vez que o lojista recebe o valor integral imediatamente após à confirmação – que no boleto leva um dia útil, enquanto uma venda à crédito demora 30 dias para ser depositado. Caso o consumidor queira garantir este desconto, deve verificar uma opção de depósito ou transferência, mais rápidos que o boleto. Mas o cartão de crédito ainda é a melhor pedida para o cliente, devido à aprovação quase imediata, agilizando o envio, além de garantir mais segurança, avalia o especialista da EZ Commerce.

Opte por lojas que facilitem o pagamento

Muitos consumidores aguardam a Black Friday para comprar smartphones, TVs, notebooks, consoles de videogame e outros itens de tíquete médio alto, mas com um bom desconto. Entretanto, na hora de concluir a compra, alguns clientes não contam com limite de crédito disponível no cartão, nem conseguem pagar o valor à vista no boleto. A dica é buscar por lojas que disponibilizam recursos para agilizar o pagamento em diversas formas, seja por meio da compra com um clique ou dividindo o valor da compra em diferentes cartões, boleto ou débito online. “Entretanto, é importante certificar-se de que a loja escolhida é confiável”, afirma João Barcellos, diretor da MundiPagg, plataforma de meios de pagamentos responsável por 40% do volume transacionado no varejo online do Brasil.

Antecipe as compras de Natal

A Black Friday é uma ótima oportunidade para fazer as compras de Natal com bons descontos. Segundo a ABComm, cerca de 30% das vendas de Natal no e-commerce, serão antecipadas na data. Por isso, programe-se, avalia Mauricio Salvador, presidente da entidade. "O consumidor deve fazer sua lista de compras com antecedência e se cadastrar no mailing das principais lojas virtuais, para poder receber ofertas antecipadas, aconselha. "Além disso é importante estar atento, pois muitas lojas virtuais irão antecipar as ofertas da Black Friday", complementa.

Cadastre-se com o Facebook e fique de olho nas ofertas

As principais lojas virtuais utilizam tecnologias de retargeting para identificar o perfil dos compradores para exibir ofertas relevantes. O consumidor deve ficar atento à sua caixa de e-mails para receber itens de interesse a preços vantajosos ou com frete grátis, além de vincular o perfil do Facebook aos sites das lojas virtuais para receber ofertas no painel de notificação da rede social. “As lojas virtuais utilizam ferramentas integradas de Big Data para analisar o comportamento de navegação e realizar abordagens cada vez mais assertivas, inclusive para convidar a concluir uma compra que foi abandonada no carrinho”, explica Isaac Ezra, CEO da ShopBack, empresa especializada em soluções de retargeting.

Não se concentre apenas na sexta-feira

O dia que faz jus ao nome da promoção nem sempre é o melhor dia para realizar as compras. As lojas geralmente caem, o sistema fica lento, o consumidor fica com muitas dúvidas sobre o pedido, se foi processado ou não, e as confirmações demoram, pois o volume é intenso, alerta Gabriel Trindade, da EZ Commerce. "As promoções atualmente já começam na noite de quinta e se alongam até a próxima segunda, então não vá no impulso da sexta e nem perca tempo preocupado se aquele produto desejado ainda estará em estoque, pois a venda tende a começar um dia antes", afirma o especialista.