Agnieszka Latawiec, professora da PUC-Rio, é premiada pela Coroa Britânica

Por Ares Saturno | 13 de Setembro de 2018 às 18h17

Agnieszka Latawiec, que é professora do Departamento de Geografia e Meio Ambiente da PUC do Rio de Janeiro, foi a primeira cientista ligada a uma instituição de ensino e pesquisa brasileira a receber o prêmio científico The Royal Society Newton Advanced Fellowship Award, oferecido pela Coroa Britânica.

Latawiec tem formação como bacharel em Engenharia Ambiental e mestrado em Proteção Ambiental e atualmente ocupa o cargo de diretora-executiva do Instituto Internacional para Sustentabilidade, além de integrar o corpo docente da Faculdade de Produção e Engenharia de Energia da Universidade de Agricultura de Cracóvia, na Polônia, onde é professora associada.

O prêmio reconheceu seu estudo "Sustentando a terra de baixo para cima: Desenvolvendo modelo conceitual de valoração dos serviços ecossitêmicos para solos tropicais", onde analisa dados sobre o solo do nosso país, propondo soluções tanto para agricultores como para gestores públicos.

Assista Agora: Saiba quais são os 5 maiores problemas das empresas brasileiras e comece 2019 em uma realidade completamente diferente.

Latawiec coleta dados do solo para orientar agricultores e gestores públicos sobre melhores práticas (Imagem: Reprodução)

"É uma grande surpresa e honra receber esse prêmio. Aplicamos pela primeira vez para um prêmio tão concorrido e pensamos que essa provavelmente seria a primeira tentativa de várias", disse Latawiec, animada com o financiamento de cerca de R$ 350 mil que o prêmio trouxe para o Fundo Newton, que será usado para dar continuidade ao desenvolvimento de seu internacionalmente condecorado trabalho.

O valor recebido como prêmio vai permitir ainda que sua doutoranda, Aline Rodrigues, também do Departamento de Geografia e Meio Ambiente da PUC-Rio, também desenvolva seus estudos em parceria com institutos de pesquisa ambiental estrangeiros, como a School of Enviromental Sciences, University of East Anglia, além das Universidades de Cambridge e de Aberdeen.

"Organizaremos oficinas tanto científicas voltadas para pesquisadores, como técnicas para produtores, para mostrar a importância da ciência de solo para a funcionalidade dos nossos ecossistemas, cadeia de alimentação e manejo da terra sustentável", explica Latawiec. "O projeto pretende também demonstrar o valor monetário do solo e destacar quanto dinheiro todos nós perdemos cada vez que o solo se torna degradado por causa do tratamento inadequado."

Fonte: Galileu

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.