Estudo mostra que 83% das empresas executam Linux em seus servidores

Por Redação | 18 de Setembro de 2013 às 11h29

O sistema operacional Linux atingiu níveis sem precedentes de implementação em ambientes corporativos, de acordo com um estudo recente encomendado pela empresa SUSE. As principais razões para a adoção do Linux incluem baixo custo total de propriedade (TCO, na sigla em inglês), maior desempenho e o desejo dos clientes de evitar a dependência de fornecedores.

Quase 22 anos após sua introdução no mercado, o Linux é hoje um software amplamente aceito e considerado seguro pela maioria dos ambientes de servidores corporativos. O estudo apontou que 83% dos entrevistados estão rodando Linux em seus servidores, e mais de 40% estão usando Linux como seu sistema operacional ou como uma das suas principais plataformas.

As aplicações mais populares executadas em Linux são banco de dados e inteligência de negócio, cada uma delas representando 17% do total. Servidores web (14%), sistemas de CRM (12%), armazenamento de dados (12%) e aplicativos personalizados/verticais (8%) também se destacam entre os mais executados.

Quase 60% dos participantes da pesquisa concordam que mudar para plataformas de software livre como o Linux garantirá que as suas organizações evitem a dependência de fornecedores. "É evidente que o Linux continuou a amadurecer tanto como uma base para nuvens em grande escala, quanto como um forte concorrente para o tipo de cargas de trabalho empresariais que anteriormente estavam confortáveis apenas em sistemas RISC/UNIX ou grandes sistemas Microsoft Server", disse Richard Fichera, vice-presidente e analista principal da Forrester Research.

Para ajudar a impulsionar ainda mais a presença do Linux em ambientes corporativos, a IBM anunciou esta semana que vai destinar um total de US$ 1 bilhão para convencer seus clientes a usar o sistema operacional. A IBM tem sido uma das maiores defensoras do Linux, tanto que essa não será a primeira vez que a empresa destina essa mesma quantia para promover o software open source.

O montante da empresa deve ser destinado a projetos que ajudem os usuários dos microprocessadores IBM Power a migrar para o Linux. Uma das ações planejadas é uma "nuvem de desenvolvimento", uma instalação de servidores Power operada pela IBM, onde os clientes poderão usá-la gratuitamente para testar aplicações Linux.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.