Golpe ou oportunidade? Saiba mais sobre o leilão de centavos

Por Douglas Ribas Jr. | 04 de Junho de 2021 às 10h00
envato / rawf8

De tempos em tempos surgem modelos de negócios que atraem o público por, supostamente, se mostrarem boas oportunidades para a aquisição de produtos.

A partir dessa perspectiva, milhares de internautas vêm usando os chamados LEILÕES DE CENTAVOS. A prática surgiu por volta do 2010, porém, muitos sites pioneiros não existem mais. 

Por outro lado, com o perdão do trocadilho, essa febre voltou em alta nessa época de pandemia!

O nome dado à maioria desses sites ou à atividade por eles desenvolvida é inadequado, afinal de contas, por definição, segundo o Dicionário Houaiss, leilão é “a venda pública de objetos, sob pregão de leiloeiro, em que os arremata quem oferece maior lance. 

No entanto, enquanto no leilão vence aquele que der o maior lance, pagando o valor mais elevado pelo produto, no ‘leilão de centavos’ sequer há leiloeiro e ganha quem acertar o menor preço no prazo de duração do “leilão”. 

Diferente do que ocorre nos leilões tradicionais, nos chamados leilões de centavos, a duração é atrelada a um contador de tempo e será vencedor aquele que tiver dado o último lance antes de encerrado o cronômetro.

Qual a razão do nome leilão de centavos?

Porque cada lance agrega ao preço final do produto um centavo, portanto, na prática, o participante tem a impressão de que a cada lance o produto aumenta um centavo. O vencedor é responsável por pagar a somatória dos centavos finais, quando chegar ao limite de tempo. Assim, um celular de última geração, por exemplo, pode sair por apenas R$ 15,00. 

Como o site ganha dinheiro se o valor de venda dos produtos é tão baixo?

Pelo simples fato de que para dar lance os usuários precisam comprar créditos, então, todos aqueles que concorreram participando do “leilão” do produto terão pago um valor para o site. 

Em média, para ter o direito de dar um lance de R$ 0,01, o participante precisa pagar R$ 1,00. Como são vários participantes da disputa online, o número de pagantes que dão lances é grande para que, ao final, haja um único vencedor que terá direito a apenas um produto a cada leilão. 

Os termos de uso dos sites de leilão de centavos são claros o bastante para informar que se um usuário não ganhou o leilão, não tem direito ao reembolso do dinheiro que investiu para ter o direito de dar lances. 

Quem participa do leilão o faz sabendo que está pagando para participar “do jogo”, correndo o risco de não ganhar. E se nada levar, tampouco recuperará o que pagou.

O leilão dos centavos é legal?

Chama a atenção o fato de que esse modelo de negócio não tem regulamentação. Porém, a priori, não se pode considerar ilegal aquilo que não é, expressamente, proibido por lei

Por outro lado, salvo melhor juízo, os usuários não têm qualquer garantia de que os sistemas dos sites de leilão não são influenciados por manobras escusas, como, por exemplo, a participação de scripts ou robôs que trabalham dando lances automáticos em detrimento da sorte e dos interesses dos participantes, favorecendo o faturamento do site ou de determinados usuários.

Sob o ponto de vista da tecnologia, evidentemente, a participação de robôs na disputa mostra-se algo de simples implementação. Aliás, em alguns sites de reclamação a respeito dos leilões de centavos há rumores nesse sentido. 

Portanto, o leilão de centavos não é loteria, mas, pode se assemelhar muito a um jogo de azar! Caso o procedimento não seja 100% límpido, e contando com artifícios maliciosos para enganar os usuários, a prática guarda muita semelhança com um jogo de azar, definido como contravenção penal no nosso ordenamento jurídico. 

Sem perder de vista que, dependendo do que aconteça para prejudicar os participantes, eventuais manobras podem até mesmo ser consideradas ESTELIONATO, crime previsto no Código Penal, com pena de reclusão de um a cinco anos.

Então, se lícita a prática ou não, tudo vai depender da idoneidade da empresa que explora a atividade chamada “leilão de centavos”.

Quer participar? - Siga as dicas!

Se você estiver disposto a tentar a sorte, arriscar seu dinheiro, ou até mesmo criar uma estratégia para ter sucesso nos chamados leilões de centavos, vale observar alguns cuidados:

  • Leia com atenção os termos de uso do site e procure entender bem como é o funcionamento do “jogo”;

  • Pesquise sobre a reputação do site, assegurando que não há reclamações sobre fatos estranhos como por exemplo, o repentino encerramento de diversos leilões ao mesmo tempo;

  • Se houver reclamações sobre o site internet afora, fique atento se elas costumam ter um bom desfecho ou se o site deixa seus usuários sem solução;

  • Verifique se a empresa detentora do site de leilão responde a processos judiciais e se possui reclamações no PROCON;

  • Procure se informar sobre a procedência dos produtos vendidos no tal “leilão”.

E aí, Canaltecher? Já participou de algum leilão de centavos? Conte aqui sua experiência!

*Artigo produzido por colunista com exclusividade ao Canaltech. O texto pode conter opiniões e análises que não necessariamente refletem a visão do Canaltech sobre o assunto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.