Americanos poderão criar suas armas com impressoras 3D domésticas

Por Wagner Wakka | 25 de Julho de 2018 às 17h42
photo_camera Captura/Youtube

Em meio a toda uma discussão sobre porte de armas nos Estados Unidos, o fim de um processo nesta quarta-feira (25) pode mudar o acesso a pistolas e outros dispositivos. Ativistas de direitos armamentistas e o governo norte americano entraram em um acordo que permite a impressão doméstica de armas usando uma impressora 3D. A medida passa a valer já em primeiro de agosto.

Com a decisão, quaisquer cidadãos norte-americanos podem baixar um modelo de arma de fogo e imprimir com uma máquina vendida em lojas, sem nenhuma documentação específica.

O movimento foi encabeçado por Cody Wilson em 2013 quando ele criou uma arma por impressão, chamada de “The Liberator”.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Produzida com plástico ABS, ela tem espaço para apenas uma bala e ainda possui um componente de metal para que o produto seja reconhecido em detectores de segurança, conforme exigido por lei. Todo processo detalhado de produção da The Liberator era descrito em um site de Wilson, que o governo retirou do ar naquela época.

O autor se uniu a ativistas da organização Defense Distributed e processou o governo para liberação de seu site. Com o acordo desta quarta, ele pode novamente divulgar modelos e tutoriais de como cidadãos podem fazer armas como as suas em casa. O governo ainda concordou em pagar US$ 40 dólares em reembolsos de impostos e taxas.  

Segundo o advogado de Wilson, um dos fatores que permitiram que o processo fosse terminado é o fato de que seu cliente estaria protegido pela Segunda Emenda da Constituição dos Estados Unidos. Este texto garante ao cidadão do país o direito de se defender, inclusive com porte de armas.

Impressão 3D e armamento fora de controle

Tais tipos de armas impressas não só facilitam o acesso, bem como dificultam o controle sobre armas. Tais produtos são chamados de “ghost guns” (armas fantasma, em tradução literal), uma vez não tem nenhum tipo de número de série, o que as tornam instáveis.

Além da pistola, Wilson também disponibiliza modelos de outras armas mais potentes, como uma Beretta M9 e partes da metralhadora AR 15. Com base em um sistema de fóruns e comunidade, usuários podem também enviar seus modelos para o site.

Por outro lado, até mesmo Wilson reconhece, em entrevista para a CNN, que as impressoras 3D atuais capazes de montar uma arma como a dele não são acessíveis. Contudo, ele ressalta: “Isso ainda vai acontecer. Você verá tudo isso se desenvolvendo. Os projetos estará aqui para quando este momento chegar”.

Ele ainda comemora, acreditando que a medida se torna um divisor de águas no debate sobre controle de armas. Wilson aponta que esta possibilidade deva fazer com que o governo tenha menor ou nenhum controle sobre “a escolha do cidadão em se proteger”.

No site, ele escreve: “a era do download de armas oficialmente começou”.

Fonte: CNN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.