Uber terá 15 dias para responder sobre vazamento de dados de 196 mil brasileiros

Por Redação | 05 de Fevereiro de 2018 às 10h51
Reprodução
Tudo sobre

Uber

Após um 2017 repleto de escândalos circundando a Uber, eis que o Ministério Público Federal (MPF) exigiu explicações à companhia sobre o vazamento de dados de cerca de 196 mil usuários brasileiros – um número que a própria empresa de transportes afirma não ser exato e nem definitivo.

Em uma publicação em seu site oficial, a Uber afirma que “já recebeu o ofício do MPDFT solicitando esclarecimentos” e pede um prazo de 15 dias para apresentar suas devidas justificativas sobre o caso. O coordenador da comissão de Proteção dos Dados Pessoais do Ministério Público, Frederico Meinberg, comentou como foi importante a atuação do MPF em relação a esse acontecimento diante da gravidade dos fatos.

Meinberg também pede que a Uber se manifeste caso haja alguma investigação interna acontecendo sobre o caso. Em caso positivo, o promotor de Justiça quer que a conclusão seja compartilhada, já que, segundo ele, a companhia de corridas deve agir de maneira transparente, descrevendo com detalhes o ocorrido e fornecendo o número total de pessoas afetadas, as localidades e os tipos de informações que foram comprometidos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Esta não é a primeira vez que o Ministério Público exige esclarecimentos desse gênero. Em janeiro, o órgão recomendou que a Netshoes tomasse providencias sobre o vazamento de dados de 2 milhões de usuários. A comissão liderada por Meinberg foi criada em novembro de 2017 e é a primeira iniciativa que lida de maneira exclusiva com a proteção de dados pessoais no Brasil.

Em novembro do ano passado, a Uber havia revelado que informações de 57 milhões de clientes e motoristas tinham sido roubadas no mundo todo - uma parte deles no Brasil. Não obstante, a empresa ainda foi acusada por um ex-funcionário de manter um departamento de espionagem, onde teria contratado hackers para roubar informações de concorrentes e esconder o vazamento de dados de seus usuários das autoridades.

Fonte: G1POA 24H

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.