Testemunha da Apple não vai mais se envolver na batalha judicial contra Qualcomm

Por Se Hyeon Oh | 07 de Março de 2019 às 21h50
CNN

A Apple e a Qualcomm estão numa batalha judicial por conta de acusações de violação de patentes. Contudo, ainda não há um final feliz próximo nessa novela, que acaba de ganhar ainda mais drama com o capítulo mais recente da trama. Arjuna Siva, um ex-engenheiro da Apple, estava previsto para testemunhar em nome da Maçã no julgamento com a Qualcomm, sob o argumento de que ele deveria receber os créditos como um co-inventor de uma das patentes que estão em disputa entre as duas empresas. Todavia, em uma reviravolta dramática de eventos, foi revelado que Siva não irá mais se posicionar sobre o caso.

A conselheira da Apple, Juanita Brooks, informou ao CNET que Siva está seguindo as recomendações de um conselho, que recomendou que ele não respondesse nem mesmo às perguntas da própria Apple. Apesar de o ex-engenheiro não ter intenções de cooperar com o julgamento, Brooks observa que ele ainda irá testemunhar caso seja intimado.

O motivo exato pelo qual Siva não está mais ajudando a empresa de Cupertino ainda não está esclarecido, mas Brooks diz que o novo advogado dele é um ex-sócio da Quinn Emanuel, o escritório de advocacia que representa a Qualcomm nos tribunais. Dessa forma, a conselheira da Apple afirma que a fabricante dos Snapdragons teria influenciado a testemunha e avisou que a Maçã também não possui mais a intenção de chamar o ex-engenheiro para falar, definindo-o como uma “testemunha corrompida".

David Nelson, da Quinn Emanuel, que está atuando como conselheiro da Qualcomm, negou essa acusação perante o juiz Sabraw, afirmando que considera essa declaração como “um ataque pessoal." O juiz Sabraw, por sua vez, respondeu a Nelson avisando que o tribunal continuaria a investigar os eventos, mas que ainda não haveria nenhuma indicação de que ele ou “alguém na Qualcomm tenha algo a ver com isso".

Siva estava, originalmente, destinado a testemunhar sobre o seu envolvimento na criação da Patente US 8.838.949, uma vez que, na segunda feira (4), chegou-se à conclusão de que ele deveria levar uma parte dos créditos por ter gerado a ideia da e por ter discutido sobre ela com os seus colegas da Qualcomm por e-mail.

A Qualcomm, entretanto, contesta essa alegação, com a afirmação de que o ex-engenheiro não teria contribuído em nada com a patente em questão.

Fonte: Apple Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.