Microsoft é acusada de compartilhar dados de usuários do Office 365

Microsoft é acusada de compartilhar dados de usuários do Office 365

Por Stephanie Kohn | 24 de Julho de 2020 às 15h12
Divulgação/Microsoft

Um grupo de clientes do Office 365 abriu um processo contra a Microsoft por supostamente ter compartilhado, em consentimento, dados de seus clientes com o Facebook e outros serviços. A empresa foi acusada de violar sua promessa de não fornecer dados de usuários a terceiros e de compartilhar informações com subcontratados somente quando absolutamente necessário.

Os reclamantes do caso afirmaram que a companhia forneceu centenas de dados de clientes sem justa causa e algumas informações sofreram violações posteriores. O processo judicial também alega que a Microsoft usa emails, documentos, calendários e dados de localização para informar sobre o desenvolvimento de produtos futuros - violando a Lei de Wiretap dos Estados Unidos e leis de proteção ao consumidor.

"Ao contrário do que diz, a Microsoft compartilha regularmente - e continua compartilhando - os dados de seus clientes comerciais com o Facebook e outros serviços. Os dados são compartilhados mesmo quando os clientes ou seus contatos não são usuários do Facebook ”, relata o processo judicial. "Mesmo que um cliente descubra e desabilite esse 'recurso' de compartilhamento no Facebook após ativar os serviços do Office 365 ou Exchange Online, o dano já foi causado", completa.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O documento ainda explica que, uma vez entregues, os dados não podem ser excluídos por ninguém além do Facebook e também podem ser utilizados por qualquer empresa que a rede social escolher colaborar. A Microsoft, por sua vez, contesta as acusações e afirma que são vagas e infundadas.

"Estamos cientes do processo e o revisaremos com cuidado. No entanto, as alegações em si não são muito específicas e não acreditamos que tenham mérito", afirmou a empresa. "Temos um histórico estabelecido de robusta proteção à privacidade e transparência, e estamos confiantes de que o uso dos dados do cliente é baseado em suas permissões e em nossos compromissos contratuais".

Fonte: Techradar

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.