Huawei | Canadá decide prosseguir com a audiência de extradição de Meng Wanzhou

Por Se Hyeon Oh | 01 de Março de 2019 às 22h25
(Imagem: Reprodução/CNN)
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

O Canadá prosseguirá com a audiência de extradição para a executiva da Huawei, Meng Wanzhou, abrindo caminho para uma batalha legal que poderá colocar o país contra a China e complicar ainda mais a relação entre as duas nações.

A decisão, anunciada nesta sexta-feira (1), pode ser interpretada de forma que o departamento de justiça do Canadá possua "evidências suficientes" para continuar com o processo formalmente. Meng aparecerá em um tribunal de Vancouver em 6 de março para agendar a data da audiência, disse o departamento. Ela, que é diretora financeira da fabricante chinesa, foi presa no aeroporto de Vancouver em dezembro por acusações norte-americanas relacionadas a supostas violações da lei de sanções dos EUA, desencadeando uma disputa diplomática.

A China alega que a prisão de Meng foi política e, não muito tempo depois de sua prisão, dois canadenses na China foram presos sob a acusação de ameaçarem a segurança nacional. O Canadá, por outro lado, contesta que está exercendo o papel de auxiliar dos EUA através de um tratado de extradição, enfatizando que as acusações são uma questão legal. De acordo com o departamento de justiça do país, a audiência de extradição não é um julgamento onde se dá o veredito de culpado ou inocente, e um indivíduo, ao ser expulso do país, ”terá um julgamento no outro país".

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Nessa história toda, a influência dos EUA acaba agregando uma maior complexidade ao caso. Isso se deve ao fato da novela envolvendo a vice-presidente da Huawei estar ocorrendo em meio às negociações de Trump com o país asiático. O presidente americano deu a entender que poderia intervir caso o feito pudesse entregar vantagens nessas negociações.

Em um comunicado enviado a repórteres, membros da equipe de defesa de Meng expressaram o seu desapontamento pelo fato de as audiências estarem sendo dirigidas mesmo com o teor político das acusações e ainda demonstraram estar incomodados com a atitude de Trump.

Vale lembrar que o departamento de justiça dos EUA havia processado a Huawei acusando a fabricante de fraude bancária e eletrônica, obstrução de justiça e roubo de tecnologia da operadora T-Mobile, além de violar as sanções comerciais dos EUA impostas ao Irã.

Fonte: Washington Post

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.