Ex-funcionário acusa Google de discriminação contra homens brancos conservadores

Por Redação | 09 de Janeiro de 2018 às 17h44
photo_camera Wired
TUDO SOBRE

Google

O ex-engenheiro da Google James Damore, de 28 anos, entrou com um processo contra a empresa alegando discriminação contra homens brancos e conservadores. O funcionário foi demitido após escrever um memorando criticando os esforços da empresa em focar na diversidade.

O processo diz que os executivos e funcionários da Google condenaram Damore pelo seu memorando e seus pontos de vista, contando ainda que ele foi ridicularizado, atacado e insultado antes de sua demissão, em agosto.

Mas esta não foi a primeira vez que Damore se envolveu em polêmicas. Pouco antes de sua demissão, o engenheiro afirmou que mulheres deveriam receber menos por questões genéticas e biológicas.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

David Gudeman, outro ex-funcionário demitido pela Google em dezembro de 2016, se uniu a James Damore no processo. Gudeman questionou a presença de um funcionário muçulmano em seu ambiente de trabalho, afirmando que ele deveria ser investigado pelo FBI, acusando o colega de terrorismo apenas com base em sua religião. A Google considerou a comparação do ex-funcionário inaceitável.

A advogada de Damore diz que na Califórnia, onde o processo foi registrado, é proibido discriminar alguém por sua opinião política. Ela conta ainda que o CEO da Google, Sundar Pichai, disse que os funcionários da empresa têm o direito de se expressar, mas que isso não significa que nada vai acontecer.

"Estamos ansiosos para defender o processo em juízo contra Damore", disse um porta-voz do Google à imprensa.

Fonte: NPR

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.