Minecraft RTX é versão realista e impressionante do jogo

Por Wagner Wakka | 20 de Outubro de 2019 às 11h50
Wagner Wakka/Canaltech

Desde que a Nvidia anunciou o lançamento das placas de vídeo da linha GeForce RTX, foram muitos os títulos que mostraram o poder do ray tracing. Trata-se de uma mecânica que, de fato, calcula cada raio de luz e dá mais realismo à imagem.

A empresa já usou grandes games para mostrar a capacidade da técnica. Isso aconteceu com Battlefield V e o último título da série Tomb Raider. Talvez por isso seja tão curioso que a NVidia tenha escolhido justamente Minecraft para, mais uma vez, provar a eficiência dos cálculos de raio de luz.

Ela está trabalhando em parceria com a Microsoft no lançamento de Minecraft RTX, que adiciona não só um papel de parede todo realista ao título, bem como modifica completamente como a luz funciona no jogo.

Reflexo na água é completamente diferente nas duas versões (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

O Canaltech foi convidado pela NVidia para testar uma demo do título em um PC com placa de vídeo GeForce RTX 2080. A versão contava com dois mapas: o inicial do game original e um outro que funcionava como uma espécie de showroom da tecnologia.

O mapa apresentado pela NVidia era uma casa em frente a um lago com uma série de quartos com quadrados de luz e uma vista com pôr do sol. A primeira impressão já foi de uma beleza bastante impressionante.

Pela primeira vez, achei Minecraft realmente bonito. O baque foi quando a assessoria da NVidia nos mostrou que era possível intercalar a versão com e sem o ray tracing. O game original não foi feito para ter texturas realistas, muito menos iluminação. Assim, a troca do visual todo realista, com raios de sol que transpassam folhas de árvore em um horizonte lindo, para a versão "original" tornou Minecraft insosso e sem graça.

Cores ficam bem mais interessantes e intensas com a RTX (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

É preciso dizer: olhar para Minecraft RTX é um caminho sem volta. Mesmo dentro da casa criada na demo, era possível ver a diferença. A principal delas, claro, está no reflexo dos objetos e pontos de luz.

Na parte de cima da residência, era possível ver uma porta de vidro refletindo tudo a sua volta. O ponto negativo é que fica comprovado que o “boneco” de fato não existe em Minecraft, sendo que somente a mão do personagem aparece com reflexo no espelho.

Dentro dos quartos, há espaços com focos de luz para criar um efeito bastante bonito de luzes sendo misturadas ao se refletirem. Quando se desliga o ray tracing, o ambiente simplesmente apaga, já que os objetos na versão original não emitem luz.

Alguns lugares simplesmente ficam todo apagados sem ray tracing (Foto: Wagner Wakka)

Outra grande mudança acontece quando anoitece. Na versão original, era quase impossível ver bem o que estava distante. Com o ray tracing, o sistema ainda usa a luz da Lua para guiar o jogador. Ou seja, é uma mudança estratégica para sobreviver à noite em ambientes perigosos.

Mundo aberto

Bom, vamos sair do ambiente montado pela NVidia para o jogo base de Minecraft, mas com ray tracing. É aqui que se percebe que o ambiente criado como showroom não foi só uma série de técnicas para imitar raios de luz.

Isso porque os ambientes, mesmo que não tenham sido inicialmente criados levando em conta raios de luz, ainda continuam maravilhosamente lindos com ray tracing. Entrar em uma caverna é uma experiência completamente diferente do jogo original. Os raios de luz entram pelas crateras e criam um cenário que imita a realidade de um modo bastante simpático.

Jogo ganha um ambiente de caverna impressionante (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Apesar de ainda ter a carinha toda quadriculada de Minecraft, as texturas realistas com raios de luz mais convincentes coloca o jogador em espaços que lembram cenários verossímeis.

Embora a mudança principal seja especialmente estética, a adição do ray tracing também tem uma função de gameplay. Isso por dois motivos.

Ao levitar pelo mapa de Minecraft e intercalar no visual com e sem ray tracing, é possível que o campo de visão seja bem maior quando se está com a tecnologia ligada. Se na versão original era praticamente impossível ver por entre as árvores, com a novidade a posição de ameaças pode ficar bem mais fácil de se ver também.

Outra questão que também é facilitada pelo ray tracing é a lava. No Minecraft padrão, era comum cair em vãos e buracos e começar a perder vida sem perceber que estava em cima de magma. Com a mudança para o ray tracing, elas emitem bastante luz, destacando de forma mais clara a ameaça.

Pintura

Se o game original já permitia uma série de criações pelos usuários, replicando estádios de futebol, personagens inteiros e outros prédios, Minecraft RTX tem tudo para elevar isso ainda mais, para um sem-limites de possibilidades.

Mudança com luz traz verdadeiras pinturas para o game (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Novamente, é preciso dizer que o ray tracing e as novas texturas fazem dele um outro game. Até mesmo para os menos fiéis amantes do gênero, como este jornalista que vos escreve, o novo visual dá um belo baque de cair o queixo.

Minecraft RTX será lançado pela Microsoft em parceria com a Nvidia, mas ainda não tem data de lançamento definida.

Mundo tem mais detalhes com RTX (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)


Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.