Jogo no Steam era utilizado para dar golpes em usuários e minerar criptomoedas

Por Wagner Wakka | 30 de Julho de 2018 às 22h00
photo_camera Captura/Youtube
TUDO SOBRE

Valve

O filtro de jogos do Steam sempre foi um dos assuntos mais complicados para a Valve. Recentemente, a empresa informou que não vai mais implementar um filtro para escolher quais jogos entram ou não em sua loja, deixando ao usuário a escolha de separar o que é bom ou ruim por lá. Com isso, a empresa abre as portas para casos controversos, não somente quanto a jogos inacabados, como também para programas de maliciosos. Este é o caso do game Abstractsm, descoberto pelo youtuber SidAlpha como um jogo que mascara um minerador criptomoedas e ainda permite golpes na plataforma.

Tudo começou quando o youtuber recebeu uma mensagem do usuário Poor Asian Boy, quem disse ter caído em um golpe relacionado ao jogo. Sid explica que o ação funciona da seguinte forma: o jogo entregava um link da loja no qual o jogador poderia comprar um item chamado Strange Australium Rocket Launcher, usado no jogo Team Fortress 2 da Valve. Trata-se de uma arma muito forte e cobiçada pelos jogadores do game de tiro. O produto é oficialmente vendido pelos jogadores no Steam por um preço US$ 70 e US$ 100.

Pois bem, ao comprar o produto, o jogador percebeu que, na verdade, o item era referente ao jogo Abstractism, e não para Team Fortress 2, mesmo que usasse artes e descrição do jogo original da Valve.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Quando o influenciador foi checar o mesmo link, percebeu que a página já não mais mostrava a descrição original nem foto do item. O golpista havia retirado tudo, trocando o conteúdo pela descrição com a palavra "NOPE" e uma foto de gatinho. Entretanto, a URL confirma que aquela página era referente à oferta do Strange Australium Rocket Launcher.

Página é modificada após a compra do item com retirada da descriação e mudança de foto (Captura: Youtube)

Ainda, o youtuber lista algumas outras práticas, no mínimo, questionáveis do jogo. Uma delas é a listagem de um produto chamado Gay Box, uma caixa que “está trancada e exige que a pessoa seja gay para abrir”. Segundo a própria descrição do produto, a caixa não contém nada — é apenas uma foto no inventário.

Outra parte bastante complicada deste jogo é que o game traz um arquivo dentro de suas pastas chamada de “steamservice.exe”. Este executável, embora pareça um item de instalação, na verdade é um vírus que minera criptomoedas em seu computador. Nos comentários do vídeo, outro usuário chamado Matheus Muller diz ter instalado o produto e também confirmou que se trata de um minerador de criptomoedas. Segundo ele, o jogo exige muito mais do processamento do computador do que o necessário.

O Abstractism, pelos vídeos de publicidade, parece ser bastante simples, em que é preciso levar um quadrado até o topo de uma fase sem muitos detalhes. Logo, não deveria exigir tanto do PC do jogador.   Ainda, o usuário analisa que a porcentagem de desempenho de CPU, memória RAM e placa de vídeo consumidas é bastante similar ao que programas de mineração exigem, indicando mais uma vez a intenção real do jogo.

No fórum, os desenvolvedores responderam sobre a reclamação de alguns jogadores sobre o caso. “Abstractism não minera nenhum tipo de criptomoeda. Provavelmente, você está jogando no modo com gráficos no máximo, pois ele pode exigir um pouco da capacidade de CPU e GPU, para pós-processamento de efeitos de renderização”, explica o usuário “okalo.union”, descrito como o desenvolvedor do jogo. O usuário não está mais disponível para contato na plataforma.   

Assim, os desenvolvedores tentam justificar que o arquivo “steamservice.exe” é necessário apenas para que os jogadores possam receber itens constantes dentro do game. Para isso, contudo, era preciso que os jogadores deixassem o jogo rodando o máximo possível, pois quanto mais tempo estivessem com o game aberto, mais poderiam receber em itens.

Este pedido, contudo, só reforça a tese de que os desenvolvedores usavam a ferramenta para minerar criptomoedas, estimulando os jogadores a ficarem com o programa aberto com a promessa enganadora de um bônus.

Legalidade

A utilização de mecanismo de mineração como forma de monetizar aplicativos e jogos ainda não é considerada uma prática criminosa no meio, nem fere essencialmente as políticas de privacidade do Steam. Recentemente, em post no blog, a plataforma assumiu que não tem capacidade para e nem quer gerenciar todos os programas que entram na plataforma, entregando aos usuários a responsabilidade  escolher aquilo que querem ver.

Contudo, o que é proibido pelas regras da plataforma é que os usuários sejam enganados e ludibriados a instalarem um programa malicioso em seus computadores sem serem avisados disso. Dessa forma, o problema na plataforma estaria no fato de que os desenvolvedores enganam os usuários, negando a utilização de programas de criptomoedas. Junto disso, ainda há o golpe relacionado ao item vendido como se fosse de Team Fortress e a série de outros itens que podem ser considerados homofóbicos e racistas dentro do Steam.

O Canaltech tentou entrar em contato com a Valve por e-mail e aguarda um posicionamento da empresa. Contudo, embora ainda não tenha confirmado a retirada do jogo, não é possível encontrar o game Abstractism no Steam pelos mecanismos de busca da plataforma, indicando que o jogo pode ser sido excluído.

Fonte: SidAlpha

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.