iOS deve ganhar atualizações de segurança de forma mais ágil

Por Alveni Lisboa | 17 de Março de 2021 às 13h10
Rahul Chakraborty/Unsplash

O lançamento do beta 4 do iOS 14.5 pode ter revelado uma mudança na forma de disponibilização de atualizações pela Apple. Códigos encontrados na nova versão indicam que a empresa estaria trabalhando no fornecimento de aprimoramentos de segurança desvinculados dos downloads do sistema operacional.

Seria uma solução para contornar a falta de interesse de usuários de celulares mais antigos da Maçã de baixar as versões mais recentes do software. Muita gente reclama que a chegada de atualizações do iOS causa lentidão em dispositivos menos atuais — a empresa já até foi processada por causa disso. Como as funcionalidades são programadas para linhas mais recentes da marca, os iPhones e iPads de gerações anteriores podem ter queda no desempenho.

(Imagem: Reprodução/9toMAC)

As correções de segurança, contudo, são bem mais leves e não afetam o sistema operacional inteiro, apenas corrigem brechas pontuais para evitar o vazamento de dados. Por exemplo, a atualização 14.4.1 foi simplesmente para resolver uma única falha de segurança no WebKit (mecanismo do navegador Safari).

Solução para dispositivos mais antigos

Ao isolar patches de segurança no iOS 14.5 e posteriores, a Apple pode garantir que os clientes antigos e novos possam desfrutar de segurança igual no ecossistema da empresa. Vale lembrar que o MacOS já possui um recurso que permite baixar apenas as atualizações críticas de segurança.

Mac já oferece a opção de instalar apenas componentes de segurança (Imagem: Reprodução/9toMAC)

Se isso se concretizar, seria um grande avanço da fabricante, ficando um passo à frente do Android. No geral, o sistema do Google oferece suporte de atualizações dos aparelhos durante 4 anos. O iPhone 6s, celular mais antigo compatível com o iOS 14.5, completa seis anos de vida em 2021.

Ainda não há posicionamento oficial da Apple sobre essa possibilidade. Muitas vezes a empresa testa funcionalidades que nunca chegam ao usuário final. Mas não há como negar que esta, em particular, seria uma adição muito bem vinda no Brasil, que tem um dos preços mais elevados para iPhones do mundo.

O que acha da novidade? Essa pode ser uma boa solução para quem tem iPhones e iPads mais antigos? Comente.

Fonte: 9toMAC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.