Twitch vai processar streamers que encheram categoria “vazia” com pornografia

Por Rafael Arbulu | 17 de Junho de 2019 às 16h18
Divulgação

No último mês, a categoria “Artifact” da Twitch, voltada ao jogo de cartas homônimo produzido pela Valve Corporation, foi totalmente tomada por trolls que, dada a baixa aderência de usuários, encheram a área de pornografia e memes. A Twitch foi forçada a derrubar transmissões ao vivo, e streams de novas contas foram impedidas até mesmo de começarem. A situação perdurou dias, segundo a empresa.

Agora, a Twitch anunciou um contra-ataque: a gigante do streaming abriu processo contra “os Joões e Marias” responsáveis por toda a situação. A documentação processual tem esse nome porque, embora a Twitch tenha tomado ação rapidamente, não consegue determinar todas as contas que ativamente participaram da trollada.

Twitch vai levar à Justiça usuários que espalharam pornografia e memes em categoria antes vazia da plataforma

“A Twitch foi, finalmente, forçada a dar o ‘passo extremamente disruptivo’ de prevenir que novas contas fizessem qualquer tipo de transmissão, e mesmo assim não foi bem-sucedida. Em resposta, os réus procuraram contornar essas medidas ao usar contas antigas ou comprar contas de outros usuários”, diz o processo.

O processo lista aproximadamente 100 “Joões e Marias”, identificando o que cada um fez ou teria ajudado a fazer. “O primeiro réu, ‘João 1’, é descrito como uma pessoa ou entidade que conduziu ou tomou parte na alegada conduta errônea pela qual operava os serviços da Twitch sob um pseudônimo. ‘Joões’ 2-100 ratificaram, endossaram ou se envolveram de outras formas nos atos reclamados e têm culpabilidade no tal”.

A Twitch disse em posicionamento que o processo busca primeiro dar nomes aos responsáveis, para depois buscar as devidas punições: “Nós levamos essas violações extremamente a sério. Estamos perseguindo as vias judiciais para identificar essas pessoas, e vamos tomar todas as ações apropriadas para proteger a nossa comunidade”. A empresa disse que pretende buscar restituição financeira pela paralisação forçada dos seus serviços, bem como a remuneração de seu corpo de advogados e o banimento permanente das pessoas envolvidas.

Fonte: PC Gamer

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.