Tor: conheça o programa anti-espionagem que deixa você anônimo na internet

Por Caio Carvalho
photo_camera Divulgação

As redes de espionagem são o assunto do momento. Com a expansão da internet e as denúncias de Edward Snowden, ex-funcionário da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA), usuários buscam cada vez mais alternativas para se blindar da vigilância de governos ou cibercriminosos. Uma das ferramentas adotadas pelos internautas e que tem chamado atenção é o Tor.

Tor é um software gratuito que oferece um sistema de proteção anti-monitoramento. O programa foi uma ideia inicial do Laboratório de Pesquisa Naval dos EUA e recebeu apoio da Electronic Frontier Foundation (EFF), uma das organizações mais conhecidas do mundo dedicada à defesa dos direitos do usuário de internet. Desde agosto deste ano, o programa ganhou 1,2 milhão de novos usuários e continua crescendo em vários países.

Como funciona

Uma vez instalado no computador, o Tor esconde sua identidade na rede e impede que terceiros visualizem suas tarefas enquanto usa o PC. Isso graças a um mecanismo que utiliza uma rede de transmissão de dados por múltiplas máquinas: quando você manda uma mensagem para um amigo, por exemplo, ela passa não por um, mas por vários computadores até chegar ao destinarário. A ideia é dificultar o acesso a um PC específico e confundir quem tenta invadir sua privacidade.

O Tor está disponível em versões para Windows, Mac OS X e Linux. Há suporte para vários idiomas, incluindo alemão, inglês, espanhol, italiano e português de Portugal. Faça o download.

Por que usar o Tor?

Seja para usuários comuns até empresas, jornalistas e potências militares, todos querem o mínimo de vigilância possível em seus dados. O que o Tor faz é mascarar seus endereços de IP e bloquear tentativas de acesso de usuários mal intencionados.

Outra vantagem é que você pode esconder sua localização atual. Repare nos cadastros recentes dos sites que você mais acessa e nos serviços de e-mail: muitos já pedem seu número de telefone e endereço. Mesmo informando tais dados, o Tor impede que o IP da sua máquina seja rastreado em tempo real.

Ross William Ulbricht

Apesar de não ser a única ferramenta voltada para proteção de dados, o Tor não deve ser ignorado. Principalmente depois de ganhar destaque com a prisão de Ross Ulbricht, mais conhecido como "Dread Pirate Roberts", chefe do maior mercado online de venda de drogas, o Silk Road.

Roberts foi preso na última semana acusado de lavagem de dinheiro e venda de substâncias ilícitas pela rede, como LSD, ecstasy, cocaína, heroína e outras drogas. A questão é que o Silk Road usava os serviços do Tor para proteger os endereços de IP dos compradores: para entrar no site, era necessário baixar o programa no computador e, a partir daí, seguir as instruções de Roberts até chegar às negociações de venda de entorpecentes.

Mesmo com o fechamento do site, o FBI - e a própria NSA - teve de reconhecer a importância de softwares anti-espionagem, como o Tor. Ainda mais porque qualquer usuário pode baixá-lo e fazer uso do aplicativo.

É seguro?

Agora que você sabe algumas características do Tor, é importante destacar que sim, ele dificulta o acesso a dados pessoais e esconde seu endereço de IP e localização atual, mas assim como qualquer ferramenta, não é uma solução infalível para navegar na internet. Bruce Schneider, um especialista em segurança da NSA, disse que está buscando formas de invadir a rede do Tor para tentar burlar o mecanismo de anonimato do programa.

A EFF lembra também que o Tor não vai defendê-lo de ameaças como vírus e malware, e que, se algum desconhecido pode executar programas no seu computador, é provável que também possa ver onde você está e o que está fazendo com o Tor. Por isso, a dica é que o serviço não seja seja seu único recurso para proteção de dados. Além dele, um bom antivírus e checagens periódicas no seu PC são medidas essenciais para manter a segurança das suas informações.

Outros programas

Como dito, o Tor não é o único programa voltado para deixar você anônimo na internet. No começo de 2013, Rainey Reitman, diretora de ativismo da EFF, esteve na Campus Party Brasil e indicou, além do Tor, alguns softwares gratuitos para sua proteção online. São eles:

Pidgin - é um programa de mensagens instantâneas, como um chat, que protege suas conversas. Caso alguém tente olhar seu bate-papo, o Pidgin fará com que o usuário receba apenas um código criptografado e não consiga acessar suas informações pessoais.

Https Everywhere - o Https é a versão segura do Http, ou seja, significa que a conexão entre o seu computador e o website é segura. Mesmo que alguém monitore os sites que você está acessando, sua senha e todos os outros dados serão criptografados. O software está disponível em extensões para Google Chrome e Firefox.

TOSBack - todas as vezes que você se cadastra em algum site, ele pede para que você concorde com os termos de serviço. O problema é que eles mudam com bastante frequência e você fica sem saber o que é permitido ou não dizer ou fazer naquela página. O TOSBack é um grande arquivo com os termos de serviço de vários sites e de anos diferentes, assim você pode fazer consultas e verificar quais eram os termos de anos anteriores dos sites que você mais acessa.