Rússia deve começar a bloquear grandes fornecedores de VPN no país

Por Rafael Arbulu | 07 de Junho de 2019 às 13h37

A política agressiva de bloqueio e censura a certos sites de internet na Rússia segue seu curso, agora com nove dos 10 maiores provedores de serviços de VPN tendo suas atividades barradas no país. Segundo informações do TorrentFreak, nomes como ExpressVPN e IPVanish devem deixar de funcionar na Rússia em caráter iminente.

A situação deriva de uma ordem emitida pelo governo russo, por meio da agência de controle de telecomunicações local — Roscomnadzor —, que exige que empresas de VPN atuantes no país barrem o acesso a sites conhecidos pelo compartilhamento de conteúdo dotado de propriedade intelectual. Em outras palavras: pirataria. A ordem foi emitida para 10 provedores no mês de março: NordVPN, ExpressVPN, TorGuard, IPVanish, VPN Unlimited, VyprVPN, Kaspersky Secure Connection, HideMyAss!, Hola VPN e OpenVPN. Nove entre os 10 recusaram ou não responderam. A única oferta que obedeceu à normativa foi a Kaspersky Secure Connection.

A NordVPN sucintamente disse “não”, alegando que obedecer à diretiva violaria os termos de concordância entre o serviço e seus usuários. Outras recusas vieram das empresas IPVanish, VPN Unlimited, VyprVPN e OpenVPN. As outras simplesmente ignoraram. A ordem em questão ambicionava forçar as VPNs a se conectarem a um registro que contém uma espécie de “lista negra” de sites cujo acesso é proibido pelo governo russo.

Alguns serviços de VPN estão prestes a serem bloqueados por desobediência a uma diretiva legal do governo russo

De acordo com a Roscomnadzor, todos os provedores tinham um prazo de 30 dias para responder, mas as empresas em questão se mostraram irredutíveis. “Nós enviamos notificações para 10 VPNs. Apenas uma delas se conectou aos registros”, disse o chefe da agência, Alexander Zharov. “Todas as outras não responderam e, mais além, escreveram em seus sites que não obedeceriam à lei russa. E a lei diz inequivocadamente que se a empresa se recusar a obedecê-la, ela deve ser bloqueada”.

Fazendo-se valer da legislação, a agência disse que os bloqueios aos fornecedores que não obedeceram à ordem de registro podem ter suas atuações barradas na Rússia dentro de um mês. Neste caso, os serviços entrarão para a mesma lista de sites bloqueados e as fornecedoras de telecomunicações locais serão proibidas de fornecer acesso a elas. Entretanto, não está claro se esse acesso refere-se ao site das empresas, aos seus servidores, ou ambos.

No caso dos servidores, TorGuard, OpenVPN e ExpressVPN não listam servidores alocados na Rússia. O HideMyAss, porém, possui servidores em Moscou, junto do VyprVPN.

As autoridades russas reconhecem, porém, que o eventual bloqueio dos serviços não acabará com a oferta de outras conexões particulares de acesso a conteúdo censurado no país: “Essas 10 VPNs não exaurem a lista completa de programas disponíveis aos nossos cidadãos. Eu não acho que será uma tragédia se elas forem bloqueadas, apesar de que eu sinto muito em ter de fazer isso”, disse Zharov.

Fonte: TorrentFreak

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.