Pornhub perde integração com PayPal e diversos artistas ficam sem receber

Por Rafael Arbulu | 14 de Novembro de 2019 às 23h10

Uma das principais vias de pagamento para modelos e artistas do Pornhub não será mais disponibilizada, efetivamente fechando um canal de renda para atores e atrizes independentes que publicam conteúdo no site.

O anúncio veio do próprio Pornhub, na noite de quarta-feira (13), avisando que a plataforma também esclareceu que a decisão foi tomada pelo PayPal: “estamos todos devastados com a decisão do PayPal de parar de emitir pagamentos para artistas que dependem dele para viverem suas vidas”, disse o comunicado do site, via blog oficial. "Pedimos nossas mais sinceras desculpas se isso vier a causar atrasos e estamos com a nossa equipe trabalhando sem parar para ter certeza de que os pagamentos serão processados o mais rápido possível nos novos métodos de monetização”.

Pornhub se vê sem mais uma via de pagamento de seus atores e atrizes independentes, que dependem do site para receber remuneração

Da parte do PayPal, um porta-voz da empresa disse à Vice americana: “Depois de uma revisão, descobrimos que o Pornhub promoveu certos tipos de pagamentos por meio do PayPal sem a nossa devida permissão. Nós tomamos as devidas ações para impedir tais transações de ocorrer”.

Embora o Pornhub seja visto como um dos muitos sites "pirateiros de pornografia", a plataforma também é uma das mais completas como uma fonte de renda para artistas independentes do setor de filmes adultos. Sua área premium é uma das mais promovidas pelo site, para a captação de assinantes pagos e estabeleceu um padrão para que outros sites também adotassem a prática.

Não é de hoje que o PayPal se opõe às profissões relacionadas ao sexo: segundo os termos de uso da plataforma de pagamentos, “certos materiais ou serviços sexualmente orientados” não são permitidos. A empresa não detalha exatamente quais são essas ações, e o discurso vago dá à ela bastante manobra para promover impedimentos tal qual é o caso com o Pornhub. A grosso modo, o PayPal se insere em uma longa lista de empresas que discrimina os trabalhos sexuais, junto a nomes como Visa e MasterCard, além do Google Wallet.

Fonte: Pornhub; Survivors Agains Sesta

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.