Jornalistas dos EUA são mortos por noticiarem perseguição e assédio online

Por Natalie Rosa | 29 de Junho de 2018 às 10h27
photo_camera Reprodução

Funcionários do jornal norte-americano Capital Gazette foram assassinados a tiros nesta quinta-feira (28) na cidade de Annapolis, em Maryland. O autor do crime é Jarrod Ramos, de 38 anos.

O criminoso, ex-funcionário do Departamento de Estatísticas do Trabalho dos Estados Unidos, é acusado de perseguir uma mulher no Facebook, e passou anos fazendo ameaças ao periódico que cobriu o caso na mídia.

Até que, por vingança, Ramos invadiu a redação do jornal e efetuou os disparos contra as vítimas. Diversas pessoas saíram do incidente feridas; cinco morreram. 

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

De acordo com o jornal, o assassino começou uma conversa amigável com a mulher, até começar a insultá-la e fazer ameaças por e-mail, pedindo ainda que ela se matasse. Buscando informações sobre ela em seu perfil no Facebook e de seus amigos, ele chegou a enviar e-mails ao local de trabalho da mulher na tentativa de que ela fosse demitida.

Afetado pelas reportagens, Ramos chegou a ir à justiça para acusar o jornal de difamação, mas o recurso foi recusado pelo juiz. Foi concluído que ele não conhecia a lei de difamação e que havia empatia com a vítima do assédio e não do assediador.

Movimentação em frente ao incidente (Imagem: Reprodução/Alex Wroblewski)

O fracasso no tribunal foi apenas o começo de uma série de ameaças que o criminoso fez contra o Capital Gazette. Em um perfil no Twitter, que parece ser de Ramos, ele fez diversas referências ao incidente de Charlie Hebdo, que aconteceu em Paris, em 2015, citando o responsável pela matéria sobre o seu caso, Eric Thomar Hartley, e seu ex-editor, Tom Marquardt.

Jarrod W. Ramos (Imagem: Reprodução)

Em entrevista ao Los Angeles Times, Marquadt contou que os funcionários do jornal ficaram preocupados com o comportamento violento de Ramos e que, na época, a polícia não conseguiu prendê-lo.

Momentos após o ataque, a identidade do suspeito não havia sido revelada e diversas cidades dos Estados Unidos enviaram policiais às redações de jornais como forma de proteção, evitando que ataques parecidos ocorressem.

Jarrod Ramos está sob custódia e o caso segue sob investigação. O Capital Gazette afirmou que não vai encerrar suas publicações.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.