Jornalista denuncia graves irregularidades trabalhistas em armazéns da Amazon

Por Ramon de Souza | 17 de Abril de 2018 às 07h22
Verdict
Tudo sobre

Amazon

O jornalista britânico James Bloodworth está dando o que falar. Em seu mais novo livro, Hired: Six Months Undercover in Low-Wage Britain (ou Contratado: Seis Meses Disfarçado na Grã-Bretanha de Baixa Renda), o repórter afirma que as condições de trabalho no armazém da Amazon em Staffordshire, no Reino Unido, são precárias. Para cumprir as metas, os funcionários estariam dispensando o uso do banheiro — um tanto distante da área de trabalho — e utilizando garrafas para fazer suas necessidades fisiológicas.

Bloodworth, que se infiltrou no local e conviveu com os empregados, afirma que os encarregados de separar as mercadorias para envio postergam ao máximo suas idas ao toalete, com medo de serem acusados de ociosidade e acabar perdendo o emprego. Ao jornal The Sun, o jornalista ainda afirmou que o local mais se assemelha a uma prisão, com câmeras identificando o uso de vestimentas proibidas (como bonés e óculos) e funcionários fazendo revistas para garantir que ninguém está tentando roubar os produtos.

Os textos de Bloodworth estão de acordo com uma recente pesquisa feita pela Organise, uma ONG global de direitos trabalhistas. Ao entrevistar mais de 200 funcionários da divisão britânica da Amazon, a instituição descobriu que 74% deles já evitaram ir ao banheiro com medo de não conseguirem cumprir as metas; além disso, 55% dos participantes desenvolveu depressão desde que começou a trabalhar no armazém em questão.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Armazéns britânicos impõe, metas insanas aos funcionários (Imagem: Verdict)

Também são constantes as reclamações a respeito de atestados médicos — muitos empregados afirmam que, mesmo apresentando tal declaração, foram advertidos por terem faltado ou se ausentado do trabalho. “Do ponto de vista da Amazon, nós não temos o direito de ficar doentes”, afirmou um entrevistado.

Ao Verge, a empresa afirmou que “não reconhece tais alegações como um retrato adequado das atividades em seus armazéns” e que tampouco pôde confirmar que as declarações são realmente oriundas de ex-funcionários. “A Amazon oferece um espaço de trabalho seguro e positivo para milhares de pessoas do Reino Unido, com salários competitivos e benefícios desde o primeiro dia”, explica.

Fonte: The Verge, Organise

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.