Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Infidelidade online cresce e adeptos falam sobre “escapadas” durante a pandemia

Por| 15 de Dezembro de 2020 às 18h20

Link copiado!

Pixabay
Pixabay

Dar aquela “escapadinha” online no relacionamento tem sido uma prática cada vez mais comuns nos últimos anos. E, neste ano de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), os encontros extraconjugais aumentaram na temporada, de acordo com a plataforma líder no assunto, a Ashley Madson. E o que os usuários constaram com essa experiência em 2020?

Bem, antes de responder a essa resposta, vamos aos números. Mesmo Com mais tempo em casa ao lado do cônjuge,  63% dos usuários do site admitiram que traíram com a mesma ou até com mais frequência que em 2019. Antes da pandemia, as inscrições diárias giravam em torno de 15 mil, e, ao longo dos últimos meses, subiu para 20 mil. 

Isso estaria atrelado ao fato dos casais passarem muito mais tempo juntos, já que bastante gente passou a fazer home office e sair pouco para evitar contato com a COVID-19. “Ter um tempo longe de seu marido ou esposa também faz com que o casal tenha algo para compartilhar e conversar ao final do dia. Isso também faz com que sintam saudade um do outro. Se os dois estão trabalhando em casa, pode ser difícil se dar bem nessa rotina conjunta”, avalia a Dra. Tammy Nelson, autora da obra When you’re the one who cheats: Ten things you need to know (“Quando quem trai é você: Dez coisas que você precisa saber, em tradução livre”).

Continua após a publicidade

“Aos poucos, uma das partes desse relacionamento começa a se encontrar na situação de recorrer por um espaço próprio, sozinho, e muitos estão fazendo exatamente isso na Internet. No mundo virtual, as pessoas se deparam com possíveis parceiros externos e decidem seguir com essa interação para adicionar entusiasmo a um relacionamento que parecia frustrante”, complementa Nelson.

Para vencer o tédio

Segundo o Ashley Madson, 41% dos infiéis de “primeira viagem” tiveram sua “estreia extraconjugal” durante a pandemia porque estavam entediados, enquanto 40% quiseram simplesmente aproveitar melhor o momento. A pesquisa aponta que 73% dos entrevistados disseram que o casamento não foi afetado pela  tenha sido afetado; e 13% que a união estável até tenha se fortalecido, eis algumas constatações tiradas a partir das respostas:

  • O casamento não tem que acabar quando apenas uma coisa não funciona para nós: 33%
  • Uma vida sexual saudável é mais importante par ao casamento do que eu já imaginei: 31%
  • Preciso priorizar meu bem-estar pessoal para estar casada (o): 31%
  • Trair, na verdade, está me ajudando a continuar casada (o): 30%
  • Não posso contar apenas com meu cônjuge para me fazer feliz: 30%

“Não existia nada sobre uma quarentena 24 horas por dia, sete dias por semana nos meus votos de casamento”, comentou uma das usuárias do Ashley Madison. “Meu marido e eu nos damos muito bem, mas é estressante para qualquer pessoa passar tanto tempo junto com seu parceiro. Mesmo que a gente tenha um bom relacionamento, ele não consegue me satisfazer da forma que eu preciso, então a quarentena me fez querer me conectar com possíveis affairs, até mais do que antes.” 

A pesquisa foi realizada com 2,4 mil membros do Ashley Madison, entre 25 e 30 de novembro deste ano.