Google registra tudo o que você comprou online — e você não sabia disso

Por Se Hyeon Oh | 17 de Maio de 2019 às 21h10
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Não é segredo que a Google possui uma variedade de informações sobre as pessoas, mas, conforme o que foi dito pela CNBC nesta sexta (17), a gigante das buscas parece ter muito mais dados a seu respeito do que você pensa. Isso porque o jornal americano verificou que existe uma página chamada “Compras” dentro da conta Google dos usuários, onde ficam registradas as compras realizadas online e até mesmo compras feitas em outro lugares por aí.

O jornalista Todd Raselton notou que havia registros de transações desde, pelo menos, o ano de 2012. Ele disse que adquiriu produtos usando serviços ou aplicativos como Amazon, DoorDash ou Seamless ou lojas como a Macy's, mas nunca diretamente através do Google. Ele diz também que, pelo visto, mesmo que a compra não tenha sido feita usando o site do Google, como os recibos digitais vão para o Gmail, a empresa tem uma lista enorme de informações sobre seus hábitos de compra.

Lista de compras de Todd Raselton registrados em "Compras" (Imagem: CNBC)

Um porta-voz da companhia disse à CNBC que a página foi criada para ajudar os usuários a visualizar e acompanhar facilmente suas compras, reservas e inscrições em um só lugar, e que só pode ser visto pelo próprio usuário. Além disso, ele afirma que é possível excluir essas informações a qualquer momento. O porta-voz afirma também que nenhuma informação das mensagens do Gmail é aproveitada com o intuito de exibir anúncios.

Apesar dessas afirmações, Todd relatou que o processo de excluir a lista de compras é extremamente difícil. Ele explica que a remoção múltipla dos itens acaba sumindo com os e-mails relacionados a eles também, o que faz com que os recibos acabem se perdendo. Caso a pessoa queira manter os recibos e excluir os dados apenas da página “Compras”, ela precisa entrar nos detalhes de item em item para realizar essa operação, o que pode acabar demandando um tempo inacreditavelmente longo.

Outro problema encontrado pelo jornalista está na contradição entre a política privacidade da Google com o que acontece na prática. De acordo com os documentos da gigante das buscas, as informações sobre os pedidos também podem acabar sendo salvas em outros serviços da Google, de forma que é possível excluí-las na página de “Minhas Atividades”. Todavia, a página de controles de atividades da Google não permite que uma pessoa gerencie os dados armazenados em “Compras”.

Dessa forma, mesmo a empresa afirmando que não aproveita e nem vende os dados armazenados em “Compras”, é estranho que essa página não é divulgada pela Google e nem sequer é possível gerenciá-la com facilidade. Sobre a indagação, a Google afirmou à CNBC que está procurando simplificar as configurações para facilitar o controle.

Fonte: The VergeCNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.