Como contribuir em projetos e comprar produtos no Kickstarter morando no Brasil?

Por Ramon de Souza | 01 de Março de 2018 às 10h55
DailyDot

Fundado em 2008, o Kickstarter, maior plataforma de financiamento coletivo (ou crowdfunding, em inglês) da atualidade, revolucionou a forma como pessoas e empresas trabalham em projetos disruptivos. A ideia do site é simples: alguém abre uma campanha no intuito de arrecadar dinheiro para algum objetivo — abrir um espaço cultural, gravar um disco, publicar um livro etc. —, os internautas interessados naquela ideia colaboram com diversas quantias de dinheiro e recebem uma recompensa pela ajuda.

Geralmente, a recompensa costuma ser o próprio produto (no caso de uma obra literária, por exemplo, o apoiador recebe uma cópia autografada antes que a produção comece a ser vendida), mas, na maioria das vezes, o criador da campanha só recebe o montante acumulado caso consiga atingir uma meta preestabelecida. Se você quiser R$ 30 mil em um mês para organizar um festival de música e conseguiu só R$ 25 mil, todo o dinheiro é devolvido para os colaboradores.

Essa é uma forma excelente de mensurar o potencial comercial de uma ideia antes de botá-la em prática. Com esse sistema (que passou a ser replicado em sites internacionais, como o Indiegogo, e até mesmo em nacionais, como o Catarse e o Kickante), é possível saber de antemão qual é o interesse do público-alvo em uma determinada invenção ou produto, tal como obter dinheiro o suficiente para produzir uma primeira leva de produção em massa.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Um oásis de inovação tecnológica

E aí que começamos a falar sobre o que todos nós gostamos: gadgets! Por ser o local perfeito para impulsionar ideias que, geralmente, não seriam interessantes para o mercado mainstream de tecnologia, o Kickstarter rapidamente se transformou na casa para projetos bem bacanas de notebooks, tablets, smartphones e todo tipo de quinquilharia eletrônica que você conseguir imaginar.

Lembrando de produtos que nasceram na plataforma e viraram um sucesso absoluto, podemos citar os óculos Oculus Rift, os relógios Pebble, o console Ouya e assim por diante. Quer exemplos mais recentes? Que tal um avião de papel motorizado? Ou um aparato capaz de alertar sobre eventuais terremotos? Que tal adquirir o menor e mais barato aparelho celular do mundo? Esse é o tipo de coisa bacana que você consegue encontrar no Kickstarter.

Sendo assim, caso você tenha uma graninha sobrando e queira investir em tecnologia independente, o site gringo é um lugar que merece a sua atenção. Por lá, você conseguirá adquirir antecipadamente alguns gadgets inovadores e ainda dormirá com a consciência tranquila sabendo que ajudou alguém a materializar uma ideia disruptiva. Só tem um probleminha… Como nós, humildes brasileiros, podemos fazer “compras” no Kickstarter, que é norte-americano?

Como funciona?

Antes de mais nada, vamos entender como a plataforma funciona. Ao acessar o Kickstarter pela primeira vez, você deve usar os menus ou a barra de pesquisas para encontrar algum projeto interessante que chame sua atenção. Ao encontrar um produto que você quer comprar, será necessário, antes de mais nada, optar por qual nível de colaboração você quer participar.

Vamos tomar como exemplo a campanha do RetroStone, um console portátil capaz de rodar vários joguinhos antigos. Navegando pela página, você terá uma descrição completa do projeto (incluindo especificações do produto, cronograma de lançamento, perguntas frequentas etc.) e os níveis de colaboração disponíveis. Ao doar dez euros, por exemplo, você recebe um simples “Obrigado”; para levar o brinquedo para casa, é necessário investir ao menos 129 euros.

Exemplo de colaboração no Kickstarter

Ao clicar na opção desejada, você poderá criar uma conta ou realizar o pagamento como visitante, sendo preciso informar apenas seu endereço de email. Depois disso, basta digitar os dados de seu cartão de crédito internacional (Mastercard ou Visa). Uma mensagem será emitida confirmando que o pagamento foi registrado com sucesso.

Cartão de crédito é o único meio de pagamento disponível

Não tenho cartão de crédito internacional! Existem alternativas?

Infelizmente, diferente da maioria das lojas virtuais internacionais, o Kickstarter não oferece meios alternativos para processar os pagamentos, como o Paypal, por exemplo. Também não existe a opção de gerar um boleto ou configurar o site para trabalhar com valores em real (só é possível escolher dólares, euros, libras etc.) Isso complica um pouquinho a vida dos brasileiros que não possuem um cartão de crédito internacional.

Se você se enquadra nesse perfil, anime-se: temos uma dica preciosa para você. O jeito é usar cartões pré-pagos, que podem ser adquiridos por qualquer pessoa (alguns são gratuitos, inclusive) e recarregados através de boletos ou transferências bancárias. Uma vez alimentado, esse cartão pode ser usado para realizar compras internacionais. Entre algumas opções bacanas, podemos recomendar o Conta UM, o EBANX Card (atualmente em processo de reforma), o Acesso Card e o Cartão Pré-Pago Digital PayPal.

Cartão virtual do PayPal é gerenciado pelo celular (Divulgação: PayPal)

Todos os produtos são enviados ao Brasil?

Não são todas as campanhas do Kickstarter que aceitam pedidos oriundos do Brasil, logo é preciso tomar cuidado com isso antes de realizar um pagamento. Leia bem a descrição de cada campanha para saber se eles enviam para o mundo inteiro (worldwide shipping) e para descobrir com antecedência qual é o valor do frete para o nosso país. Geralmente, essa informação aparece no momento em que você escolhe o nível de colaboração e recompensa desejada.

Fiz minha compra, e agora?

Agora é só sentar e esperar. Primeiramente, torça para que a campanha atinja sua meta de arrecadação — caso contrário, o valor será estornado para seu cartão de crédito, seja ele convencional ou pré-pago. Atente-se para o cronograma de lançamento e sinta-se livre para acompanhar o andamento do projeto, entrando em contato com o seu criador e tirando eventuais dúvidas se assim for necessário.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.