Após prisão, casal do Mega Filmes HD abre negócio de venda de salgados

Por Redação | 21.12.2015 às 11:26

O casal que é dono do site Mega Filmes HD, que fornecia um grande acervo de filmes e séries pela internet, está recomeçando a vida com um novo negócio de venda de salgados. Após a prisão, os suspeitos de pirataria e associação criminosa estão soltos há menos de um mês e respondem criminalmente em liberdade. Sobre o novo negócio de salgados, eles afirmaram não "ter vergonha" na nova ocupação.

"Antes do 'boom' do site éramos pobres, não tem problema nenhum", afirmam Marcos Cardoso e Thalita Cardoso, que vivem na cidade de Cerquilho, interior de São Paulo.

Além de cozinhar na companhia de parentes, Thalita atende pedidos em casa e através do Facebook. Marcos faz as entregas com um automóvel emprestado pelo tio de Thalita, já que os quatro veículos do casal foram apreendidos pela polícia. "O importante é que ele funciona. Alguns amigos e nossos parentes nos ajudaram muito com uma verba para começar a trabalhar e ferramentas para fazer os salgados, já que não sobrou nada de dinheiro", conta Thalita.

De acordo com a Polícia Federal em Sorocaba (SP), o casal recebia cerca de R$ 70 mil com os 60 milhões de visualizações mensais que o site obtinha. Sem o dinheiro mensal, tanto Marcos como Thalita resolveram iniciar um negócio próprio de alimentação, algo que já estava nos planos da dupla antes da prisão. "Já queríamos abrir um restaurante antes do que aconteceu. Então estamos correndo para fazer dar certo. Além de fazer e entregar salgados, à noite trabalho como gerente em um bar da cidade", disse Thalita.

A incerteza de voltar ou não à prisão é algo que incomoda o casal. Tanto que tiveram de suspender seus projetos, como casamento e planos de terem filhos. "Estávamos com o casamento marcado para duas semanas depois de quando fomos presos. Tínhamos também planos de ter filhos, mas agora como ficar grávida se posso ser presa de novo?", diz Thalita.

O ex-dono de um dos maiores sites de pirataria do Brasil diz estar arrependido pelo que fez, apesar de ter uma experiência menos danosa. "Nunca tinha enfrentado algo como ficar dez dias preso, e olha que a prisão onde fiquei não era tão ruim pelo que os outros detentos falaram. O interessante é que todos são tratados iguais, ricos e pobres. Uns 80% dos presos queriam voltar a fazer crimes depois de sair. Mas eu estou fora", afirma Marcos.

Fonte: G1

Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/itapetininga-regiao/noticia/2015/12/casal-mega-filmes-vende-salgados-apos-prisao-nao-temos-vergonha.html