Após fraudes e tiroteio, Airbnb vai começar a certificar hospedagens

Por Felipe Demartini | 07 de Novembro de 2019 às 11h45
Tudo sobre

Airbnb

Saiba tudo sobre Airbnb

Ver mais

O Airbnb anunciou nesta quinta-feira (07) uma grande mudança em seus termos de uso, de forma a dar mais segurança aos hóspedes e evitar problemas com golpes e violência. No que está sendo citada pela empresa como a maior mudança desde sua fundação, todas as listagens de hospedagens disponíveis serão verificadas em busca de inconsistências entre a realidade e as imagens, informações de localização e descrições disponíveis no site.

A ideia é evitar um golpe comum que acontece na plataforma, pelo qual anfitriões, igualmente mal-intencionados, se unem para avaliar positivamente as hospedagens uns dos outros. Depois, ameaçam hóspedes para que façam o mesmo e não revelem o fato de que as residências não são o que prometem, em um abuso que foi descoberto há algumas semanas e se tornou prioridade na lista de afazeres da plataforma.

A partir de agora, clientes insatisfeitos terão direito a um reembolso completo caso não se sintam confortáveis ou seguros nas hospedagens alugadas, enquanto o processo de análise será mais rigoroso. O Airbnb não disse, exatamente, como essa verificação de propriedades vai acontecer, afirmando apenas que análises manuais serão feitas no caso de anúncios suspeitos ou que já tenham sido denunciados antes por usuários.

Além disso, o Airbnb reforçou seu banimento das “casas de festa”, grandes propriedades que eram alugadas por um único final de semana para a realização de eventos desse tipo. Antes, a empresa indicava quais locais poderiam servir desta maneira; no último final de semana, entretanto, listagens desse tipo foram proibidas, depois que um tiroteio em uma residência dessa modalidade deixou cinco pessoas mortas nos Estados Unidos.

O caso aconteceu na última quinta-feira (31), quando um homem armado abriu fogo em uma festa de Halloween na cidade de Orinda, no estado da Califórnia. Mais de 100 pessoas estavam em um local - que tinha capacidade máxima para 13, mas a polícia não tem mais informações sobre o que motivou os disparos ou a identidade do assassino. Três pessoas foram mortas na residência, enquanto outras duas faleceram no hospital.

A reação da empresa foi rápida, com o próprio fundador do Airbnb, Brian Chesky, se pronunciando no Twitter sobre a proibição de listagens de casas para festa e antecipando algumas das mudanças em prol da segurança de usuários e antifitriões. A casa onde o tiroteio aconteceu não permitia eventos dessa categoria, algo que chegou a ser avisado pelos donos à locatária, que mentiu afirmando precisar de um lugar grande para que sua família pudesse ficar enquanto os incêndios florestais na Califórnia acontecem.

O evento acabou sendo propagandeado nas redes sociais como “uma festa na mansão do Airbnb”, com diversas reclamações de barulho pelos vizinhos e até uma visita da polícia antes dos disparos serem realizados. A empresa não identificou a responsável pela locação, mas disse que ela foi banida do serviço, enquanto a casa onde o crime aconteceu também foi retirada do ar.

A plataforma anunciou ainda o lançamento de uma ouvidoria, para onde os usuários insatisfeitos com as políticas da empresa (ou a solução dada a conflitos) podem levar suas reclamações. Todos os clientes foram notificados por e-mail sobre as mudanças, que já estão ativas na plataforma.

A ideia, como normalmente acontece em problemas dessa categoria, é garantir que a plataforma seja confiável e segura para os clientes. Isso é realmente importante, no momento em que o Airbnb se prepara para uma abertura de capital, que deve acontecer no ano que vem. Para Chesky, o ideal é manter o senso de comunidade que esteve na gênese da empresa. Logo, para isso, as novas regras foram necessárias.

Fonte: Telegraph

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.