Como funciona o Certificado Digital?

Por Colaborador externo | 29 de Setembro de 2014 às 13h30

Tratados, contratos, documentos, declarações, recibos, promissórias... Desde que o mundo começou a registar seus acordos, a assinatura à mão era a prova cabal de que aquela folha de papel se tornava verdadeira e válida em todas as esferas da sociedade em que ela circulava. Uma assinatura é a palavra dada, e ponto final.

Em alguns casos, a assinatura era substituída por selo, impressão digital, carimbo ou qualquer outro recurso que comprovasse que os emissores daquele documento estavam atestando a veracidade do que estava ali.

Na era digital em que vivemos atualmente, a situação mudou: bancos, órgãos governamentais, empresas e mesmo cidadãos comuns fazem uma infinidade de transações pela Internet, o que forçou a tecnologia a encontrar uma forma de comprovar que um documento virtual é tão verídico e válido quanto os velhos papéis assinados à mão. Bem-vindo à era do certificado digital.

E como isso funciona?

Um certificado digital é um documento eletrônico que reconhece e emite uma assinatura digital. Não, não se trata de uma assinatura em papel que escaneada pode ser facilmente alterada em qualquer programa de edição de imagens. No caso da assinatura utilizada na certificação digital, trata-se de criptografia. Mais precisamente, chaves criptográficas que conferem a autenticidade ao documento, que tem valor legal.

As chaves criptográficas são um aglomerado de bits condicionados a um algoritmo que cifra e decifra informações. Para autenticar e manter a assinatura digital segura são usadas as chaves privadas e as chaves públicas. Toda vez que o certificado digital é acionado para emissão de uma assinatura, os dados são enviados pelo emissor com uma chave pública, sendo que o receptor acessa os dados por uma chave privada capaz de decifrar a informação.

Para que toda a transação ocorra sem problemas, os certificados digitais devem transitar em conexões seguras, como, por exemplo, as que utilizam o protocolo SSL (Secure Socket Layer), próprio para tráfego de dados criptografados. Os dados geralmente são criptografados em “Hash”, produzido de forma única e de tamanho fixo. A integridade e segurança são garantidas pelo cálculo do valor do hash, comprovando que os dois números (público e privado) são iguais e o arquivo não foi alterado.

Não vai demorar muito para que o certificado digital seja um documento tão corriqueiro em nossas vidas como uma assinatura com firma reconhecida em cartório. Entretanto, em vez de recorrer ao cartório, você vai precisar contratar os serviços de um órgão certificador reconhecido e amparado legalmente, da mesma forma que garante um tabelião. No caso dos certificados digitais, eles só podem ser emitidos por uma empresa que seja uma Autoridade Certificadora subordinada à ICP-Brasil.

De modo geral, o certificado digital é uma forma segura de codificar, ler e proteger a troca de informações online. Ele vai emitir, carregar e entregar as informações que só você pode criar, assim como vai transmitir esses dados para as únicas pessoas ou entidades que você quer que as receba.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.