Em 2020, minha escova de dentes será invadida!

Por Colaborador externo | 16 de Janeiro de 2020 às 19h00

Por Ivan Marzariolli*

Este ano, a minha escova de dentes será invadida. Tenho certeza de que isso vai acontecer. Vou descobrir quando for ao dentista para meu check-up regular e ver que tenho uma nova cárie e ainda não estou usando o fio dental corretamente.

Há dois anos, um amigo estava no MWC Barcelona e entre todos os jogos de realidade virtual e automóveis inteligentes, viu em exibição uma escova de dentes inteligente. Ao perguntar ao fornecedor, pois a princípio parecia uma tecnologia inútil para uma tarefa simples, descobri que a escova de dentes se conecta a um aplicativo no seu telefone e fornece detalhes de quão bem você está escovando — por quanto tempo você cobre todas as áreas certas, etc. Sabendo disso, a ideia soa um pouco mais interessante e inovadora.

No momento, eu preciso de uma nova escova de dentes e não quero ficar de fora das últimas tendências. Estou pensando em mudar da minha abordagem manual antiquada para uma que usa bateria. Lembrei dessa escova de dentes conectada, de dois anos atrás, e procurei online. Hoje já existem diversas opções como ela disponíveis no mercado.

No entanto, é aqui que a atração da possibilidade da tecnologia 5G se cruza com a necessidade do consumidor e a crescente comunidade de cibercriminosos. Espera-se que os dispositivos IoT, de todos os tipos, aumentem nos próximos cinco anos. E como a maioria das violações de hackers não é descoberta por meses depois que elas acontecem, não fica difícil ligar alguns pontos.

De acordo com o Relatório de Mobilidade da Ericsson, até 2025, haverá quase 25 bi de dispositivos conectados, em comparação com cerca de 7,4 bi de smartphones. Isso representa um aumento maior que o dobro das estimativas atuais de IoT de 11 bilhões. Isso inclui todos os tipos de dispositivos industriais, comerciais e de consumo, como carros conectados, dispositivos pessoais (por exemplo, escovas de dentes), sensores de transporte e IoT crítica para segurança pública.

Ao mesmo tempo, estamos vendo cada vez mais evidências de como dispositivos de consumo, aparentemente inofensivos, podem ser invadidos e usados para fins maliciosos. O FBI, por exemplo, alertou recentemente sobre os perigos das TVs inteligentes que podem ser vulneráveis a invasões e uma mãe do Mississippi alega que sua câmera IoT foi hackeada.

Outra maneira de pensar sobre isso é que, em 2020, globalmente, cerca de 394 novos dispositivos IoT serão conectados a cada segundo. Alguns deles podem ser até mesmo as próprias escovas de dente.

Mas é preciso pensar que, em algum lugar, há um hacker trabalhador que busca se vingar de seus pais por fazê-lo escovar os dentes todas as noites. E assim, o hack da escova de dentes será criado.

Será que como resultado, terei um novo problema dentário este ano?

Escove bem os dentes!

*Ivan é Country Manager da A10 Networks Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.