Startup alemã finaliza testes com primeiro jatinho totalmente elétrico

Por Felipe Ribeiro | 17 de Maio de 2019 às 08h37
Lilium

A startup alemã de táxi aéreo Lilium anunciou o primeiro teste de sua aeronave de cinco lugares totalmente elétrica. Foi o mais recente de uma série de testes bem-sucedidos e que pode ser o primeiro passo para o nascimento da indústria de "carros voadores" elétricos.

Em um vídeo fornecido pela empresa sediada em Munique, a aeronave não-tripulada da Lilium pode ser vista decolando verticalmente como um helicóptero, pairando brevemente e aterrissando. Pode não parecer muito, mas é um grande passo para a empresa, que espera lançar um serviço de táxi aéreo totalmente operacional em várias cidades até 2025.

Veja o vídeo:

Comparado a outras aeronaves elétricas de pré-produção que vimos até agora, o jatinho elétrico da Lilium se destaca. As asas acopladas à cabine em formato de ovo são equipadas com um total de 36 motores elétricos a jato que se inclinam para a decolagem vertical e depois "dobram" para a frente para o voo horizontal. Não há cauda, ​​leme, hélices ou caixa de câmbio. Quando estiver completo, o jato Lilium terá um alcance de 300 quilômetros e atingirá velocidade máxima de 300 quilômetros por hora, segundo a empresa.

Imagem: Lilium

Isso é muito mais do que muitos de seus concorrentes estão prevendo de suas aeronaves elétricas. Remo Gerber, diretor comercial da Lilium, disse que isso se deve ao design de asa fixa, que exige menos de 10% dos 2.000cv de potência durante o cruzeiro. "Estamos super animados. O primeiro voo foi exatamente como deveria ser", disse em entrevista ao The Verge.

A relação peso-potência é um ponto-chave para o voo elétrico, além de ser, também, um dos seus maiores inibidores. A densidade de energia — a quantidade de energia armazenada em um determinado sistema — é a principal métrica e as baterias de hoje não contêm energia suficiente para tirar a maioria dos aviões do solo. Para estabelecer um comparativo com os jatos comuns, o combustível normalmente utilizado para os voos, a querosene, se colocada na asa desta aeronave, daria cerca de 43 vezes mais energia do que uma bateria com o mesmo peso da quantidade abastecida. Gerber não forneceu detalhes sobre a capacidade de peso do jato Lilium, mas ele insistiu que, eventualmente, será capaz de transportar cinco passageiros e um piloto, além de bagagem.

Imagem: Lilium

Ao contrário de alguns de seus concorrentes, a Lilium planeja manter um piloto humano a bordo de sua aeronave. Isso permitirá um processo de certificação mais fácil, disse Gerber. A Lilium está em processo de garantir a certificação para o táxi aéreo de cinco lugares da Agência Europeia para a Segurança da Aviação e também buscará uma solicitação junto à Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.