Recorde mundial de Usain Bolt é quebrado por homem voando em jetpack

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 25 de Maio de 2021 às 23h00
Divulgação/Guiness World Records

Um verdadeiro fenômeno do atletismo mundial, Usain Bolt escreveu seu nome na história do esporte com diversos feitos impressionantes. Um dos mais emblemáticos aconteceu durante o Mundial de Atletismo de 2019, no qual o “homem-relâmpago” percorreu 100 metros em 9,58 segundos — marca vencida recentemente por Richard Browning, que precisou de um pequeno auxílio externo para tanto.

Realizada recentemente pelo Guinness World Records em Southamption, a primeira edição do Anker Speed Challenge teve como destaque Browning usando um jetpack para se locomover em altas velocidades. Com o dispositivo, ele conseguiu percorrer 100 metros em somente 7,69 segundos e conquistou o recorde de “100 metros mais rápidos em um traje motorizado a jato controlado pelo corpo” — ou seja, o legado de Bolt permanece intacto.

Patrocinado pela marca de carregadores Anker, o desafio também estabeleceu um novo recorde para os 400 metros, que desde 1992 pertence a Wayde Van Niekerk e seus 43,03 segundos. Competindo com Callum Gregson, novamente Browning e seu jetpack conseguiram superar a marca da categoria, com um tempo de 42,06 segundos.

Recordista mundial com várias conquistas

Além de provar suas habilidades nas corridas com jetpacks, Browning também provou o domínio dos dispositivos em desafios que envolvem alturas. Imitando o trajeto de um salto com vara humano, ele conseguiu pular 6,19 metros em um tempo de 13,09 segundos, ultrapassando em 1 centímetro o ponto mais alto já alcançado por um atleta na categoria.

@guinnessworldrecords

#ad 100m jet suit #AnkerSpeedChallenge by @takeongravity with @ankerofficial ⏱️

♬ original sound - Guinness World Records

Em seu currículo, Browning também tem o recorde da “velocidade mais rápida em um traje movido a um motor a jato controlado pelo corpo”, chegando a 136 km/h em 2019. Após receber seus certificados dos Guinness, o esportista reconheceu que não seguiu exatamente os preceitos olímpicos, mas afirmou que é preciso reconhecer o mérito do que é possível fazer combinando as características do corpo humano à tecnologia de ponta disponível atualmente.

Fonte: Guiness World Records

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.