SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Ovo à base de plantas tem gema e clara e pode ser frito como um ovo de verdade

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 22 de Maio de 2022 às 10h00

Link copiado!

Reprodução/Yo! Egg
Reprodução/Yo! Egg

Uma startup israelense trabalha no desenvolvimento de um ovo feito à base de plantas. Não um produto líquido ou em pó, mas sim um ovo “inteiro” — com gema e clara — que poderia ser facilmente confundido com o alimento produzido de forma natural por uma galinha.

Segundo seus criadores, o Yo! Egg pode ser cozido lentamente — em um processo culinário conhecido como escalfar — ou frito como um ovo de verdade, com o cliente podendo ainda escolher se prefere a gema dura ou mole, enquanto o alimento é preparado.

“O Yo! Egg é um alimento vegano desenvolvido para consumidores que apreciam o sabor e a textura de ovos normais, mas preferem uma opção mais sustentável e sem colesterol, que possa suprir sua memória alimentar enquanto consome uma comida de origem não animal”, explica o cofundador da empresa Eran Groner.

Continua após a publicidade

Sem galinha

Assim como outros produtos feitos à base de plantas, a Yo! Egg aposta na combinação de vários ingredientes comuns para garantir um sabor familiar para quem o consome. O alimento vegano é produzido apenas com uma mistura proporcional de óleo de girassol, água, farinha e soja.

Como possui somente um grama de proteína vegetal, o produto não é um bom substituto para os ovos de galinha quanto ao valor nutricional, mas em compensação, o Yo! Egg não tem colesterol e também não transmite doenças como salmonela ou gripe aviária.

Continua após a publicidade

“Outra vantagem do ovo feito à base de plantas está na sustentabilidade. Para se produzir um ovo normal, são necessários mais de 200 litros de água por ave. Se nada for feito agora, esse consumo exagerado de água vai cobrar um preço enorme no futuro”, acrescenta Groner.

Quando chega?

O Yo! Egg já está sendo comercializado em Israel em uma rede de lanchonetes especializada em servir café da manhã. A expectativa é que o produto possa estar no cardápio de restaurantes na região de Los Angeles, nos Estados Unidos, até o final de 2022.

Continua após a publicidade

O próximo passo será usar o financiamento inicial de US$ 5 milhões (cerca de R$ 25 milhões na cotação atual) para desenvolver novos alimentos, como ovos que possam ser cozidos de forma natural, mexidos ou servir como ingredientes para bolos e outros produtos de panificação.

“Nosso objetivo principal é criar a maior empresa de ovos do mundo, não uma startup alternativa ou uma grande empresa de produtos à base de plantas, mas a maior fabricante de ovos sustentáveis e saudáveis do planeta, sem usar uma única galinha”, prevê Eran Groner.