Mark Zuckerberg doa US$ 30 milhões para ensinar crianças a lerem

Por Wagner Wakka | 08 de Março de 2018 às 07h55
Wired
Tudo sobre

Facebook

Mark Zuckerberg está em uma nova empreitada. O CEO do Facebook vai doar US$ 30 milhões para ajudar crianças com dificuldade de leitura. A ação foi feita em parceria com sua esposa Priscilla Chan e nomeada de Chan Zuckerberg Initiative.

O dinheiro deve ser destinado às Harvard Graduate School of Education e Massachusetts Institute of Technology’s Integrated Learning Initiative, para o projeto chamado Reach Every Reader (Alcance cada leitor, em tradução livre). A proposta é criar, em cinco anos, uma ferramenta web que ajude a diagnosticar problemas de leitura antes mesmo que a criança atinja a idade para isso. Assim, pais e colégio podem criar ferramentas para estimular o pequeno a gostar e conseguir ler.

O projeto é baseado em uma pesquisa da American Psychological Association, a qual aponta que os primeiros anos de leitura de uma criança são decisivos para o desenvolvimento da habilidade nos anos seguintes. Os dados mostram que, ao ter dificuldade na leitura na primeira infância, há 90% de chance de desenvolver uma leitura ruim até a quarta série e 75% no Ensino Médio.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

De acordo com diretor da iniciativa associada ao MIT, John Gabrieli, a identificação de dificuldades na leitura pode ser feita antes de a criança começar efetivamente a ler, através de testes fonológicos. Segundo Gabrieli, responsividade a sons é um dos indicativos de se uma criança pode vir a ter problemas de leitura no futuro. A plataforma deve testar o processo fonológico, problemas de vocabulário e compreensão auditiva de 2 mil estudantes.

Após a identificação da dificuldade de leitura, o grupo produzirá dois tipos de conteúdos de estímulo, um que será lido pelos pais com a criança e outro a ser trabalhado na escola. O grupo afirma que a proposta é que haja plataformas personalizadas para os pais e outra para a crianças.

A produtora executiva do programa, Elizabeth City, explica que a proposta foca em dois problemas principais que são os pais não saberem como lidar com o problema e dar suporte para que educadores possam fazer as intervenções que gostariam. “Nós seguimos com a ideia de que o melhor modo de uma criança aprender a ler é com seus pais e professores. A tecnologia como ferramenta, não como uma solução”, finaliza.

Fonte: Quartz

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.