Loggi anuncia plataforma de benchmark para fomentar estudos sobre logística

Por Rui Maciel | 12 de Abril de 2021 às 13h45

A Loggi anunciou na última sexta-feira (09) o lançamento de plataforma que traz um conjunto de dados e scripts de benchmark para resolução de problemas relacionados a otimização de entregas urbanas. Com o nome de LoggiBUD (Loggi Benchmark for Urban Deliveries), a iniciativa tem por objetivo fomentar a pesquisa acadêmica e reduzir a lacuna entre teoria e prática nesta área, visando diversas aplicações de grande impacto econômico e social.

A plataforma busca resolver desafios como o Problema de Roteamento de Veículos (VRP na sigla em inglês), que, além de melhorar a qualidade dos sistemas de logística, aumenta a eficiência de outros serviços, como coleta de lixo ou manutenção da rede elétrica por meio da programação de bons algoritmos. Apesar do progresso contínuo em seu desenvolvimento, os conjuntos de dados empregados em muitos trabalhos acadêmicos ainda carecem de semelhança com o mundo real, particularmente para entregas feitas diretamente ao consumidor final.

Dados e cenários considerados

Existem vários conjuntos de dados conhecidos para o PVRP. No entanto, há limitações nesses conjuntos e o que pode ser realmente aplicado aos problemas reais. "A maioria dos benchmarks é pequena, raramente alcançam milhares de clientes", comenta Gabriela Surita, Gerente de Engenharia da Loggi. As distribuições de entregas são muito artificiais e a medida de distância tende a ser em linha reta, negligenciando as condições geográficas das cidades".

No entanto, as informações utilizadas na LoggiBUD são baseadas em fontes públicas, como o desenho no mapa de cada setor censitário (IPEA) e a renda domiciliar de cada setor (Censo IBGE 2010), e também no número médio de entregas realizadas em cada cidade em que a Loggi opera. Na plataforma, nenhuma entrega real da Loggi é divulgada, garantindo a privacidade dos clientes. A plataforma, além de fatores econômicos, também considera a geografia dos locais representados e as distâncias reais de viagem nas ruas para sugerir as melhores rotas.

LoggiBud: informações baseadas em fontes públicas, levantadas por entidades como IPEA e IBGE (Captura de imagem: Rui Maciel)

Na plataforma, o conjunto de dados simula o desafio de uma grande empresa de entrega na etapa final da cadeia de suprimentos. "Em todo o mundo, áreas metropolitanas testemunham a entrega de centenas de milhares de pacotes e correspondências", comenta Fillipe Goulart, Engenheiro de Software da Loggi. "Com isso, precisamos de soluções dinâmicas e rápidas para despachá-los à medida que são recebidos. Além disso, as entregas nessas áreas são distribuídas de forma muito desigual, o que exige também que essas soluções sejam inteligentes para evitar rotas longas e com altos custos, tanto para a empresa como para o entregador".

A primeira versão do Benchmark contempla as regiões metropolitanas de Belém (PA), Brasília (DF) e Rio de Janeiro (RJ).

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.