ENERQi | Conheça o carregador que transforma sua mesa em uma central de carga

Por Luciana Zaramela | 12 de Março de 2019 às 13h33

Carregador com fio já é coisa do passado. A moda agora é tudo wireless. E pegando carona nessa tendência está um novo conceito de carregador de celular prestes a chegar no mercado, o ENERQi. Com campanha de crowdfunding no Indiegogo e previsão de entrega para abril de 2019, a novidade promete transformar qualquer mesa, de qualquer escritório, em uma central de carregamento sem fio para uma ampla gama de smartphones.

Projetado para se acoplar a qualquer mesa, móvel ou escrivaninha, o ENERQi fica oculto sob o tampo ou superfície e pode carregar um dispositivo a até 40 mm de distância, com potência de 10W. Mais do que a praticidade e discrição, a equipe de desenvolvimento por trás do aparelho afirma que a grande sacada é a velocidade de carregamento. A ideia foi premiada na CES 2019, inclusive.

Foram três anos de pesquisa e desenvolvimento. O resultado é um carregador que usa tecnologia Qi sem fio, ou seja: a carga é gerada por eletromagnetismo. São várias bobinas que, juntas, oferecem energia por indução para smartphones, smartwatches, fones de ouvido e qualquer tipo de aparelho compatível.

Como funciona?

O ENERQi vem com uma interface adesiva e um cabo com extremidade USB-C para ser ligado na tomada Assim que tirado da caixa, basta usar o conjunto de adesivos ou parafusos para afixá-lo sob o móvel — qualquer móvel, desde uma mesinha da sua sala de estar à sua escrivaninha no escritório. Depois, basta deixar o celular sobre ela para que o carregamento ocorra, sem fios emaranhados nem bagunça sobre a superfície.

Segundo os desenvolvedores, o carregamento funciona com vários materiais, como madeira, granito, mármore, vidro, quartzo, plástico... bem como estojos de espessura grossa e cases de vários tipos. O importante é não haver nenhum metal entre carregador e smartphone, pois assim não interfere na ressonância das ondas eletromagnéticas do ENERQi.

Compatibilidade

De acordo com o site oficial, todo e qualquer smartphone que já venha com a tecnologia de carregamento sem fio pode ser usado com o ENERQi. Isso inclui flagships como os iPhones mais recentes (a partir do iPhone 8) e uma vasta gama de aparelhos Android (Como Samsung Galaxy S8 em diante, Nexus 4 em diante, Xperia Z3 em diante e vários outros, conforme você vê abaixo).

Modelos compatíveis, specs e comparativo com carregadores sem fio atuais (via ENERQi.co)

Crowdfunding

Após ser apresentado em janeiro na CES 2019, o ENERQi iniciou sua campanha de arrecadação de verbas em fevereiro com objetivo inicial de US$ 5.000. Foram tantos apoiadores que a ideia extrapolou o número em quase 2.000%, batendo quase US$ 100 mil na data em que esta notícia é escrita, pelas mão de quase 750 apoiadores de todo o mundo.

A campanha acaba agora, em março, e a produção também se inicia neste mês. Sem perda de tempo, a promessa de entrega das primeiras unidades do ENERQi é para abril, ou seja: em questão de 30 a 45 dias os primeiros apoiadores do projeto já receberão seus carregadores em casa.

A equipe por trás do produto já tem experiência no mercado: são mais de 20 anos trabalhando com design e fabricação de carregadores, com mais de 500 mil produtos sem fio já distribuídos. Vem daí o comprometimento com a agilidade na entrega.

Discreto, rápido e sem emaranhado de fios

Preços e modelos

E aí, ficou interessado? O ENERQi vem em dois modelos (tradicional e nano), além de duas cores: preta e branca.

  • ENERQi: carrega a até 40 mm de distância — US$ 69
  • ENERQi nano: menorzinho, carrega a até 15 mm de distância — US$ 49

Pelo Indiegogo os preços estão com até 45% de desconto. Há, inclusive, opções de combos na página do ENERQi dentro do site de crowdfunding ou no site oficial. O ENERQi também tem campanha no Kickstarter, caso você prefira. E sim, o frete abrange o mundo todo (cerca de US$ 15 para o Brasil + taxas).

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.