Couro sintético feito com cogumelos pode ajudar a salvar o planeta

Couro sintético feito com cogumelos pode ajudar a salvar o planeta

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 30 de Setembro de 2021 às 09h25
Reprodução/Bolt Threads

A startup estadunidense Bolt Threads desenvolveu um couro sintético feito à base de cogumelos. O material é extraído do micélio, parte vegetativa semelhante à raiz e composta pela massa de ramificação responsável por levar os nutrientes que o fungo precisa para viver e se desenvolver na natureza.

Essa colônia bacteriana que dá origem ao Mylo cresce rapidamente, tornando-se uma enorme teia de fios logo abaixo da superfície da Terra. A empresa diz que já está pronta para produzir o material em escala comercial, entregando quase 1 milhão de metros quadrados por ano.

“Quando olhamos para o couro, é uma indústria gigantesca, com uma produção mundial de mais de 3 bilhões de metros quadrados por ano. Se realmente queremos reduzir o problema da mudança climática, temos que fazer isso da maneira mais rápida possível”, afirma o CEO e fundador da Bolt Threads Dan Widmaier.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Couro sintético

Os fungos crescem na serragem e o micélio produz um material branco e macio que se parece com um grande marshmallow. Essa substância é colhida e processada em uma série de etapas que a startup não compartilha publicamente. Em seguida, o material vai para um curtume, assim como acontece com o couro normal.

Fazenda de cultivo do micélio (Imagem: Reprodução/Bolt Threads)

“O cultivo é feito no escuro, em câmaras fechadas e climatizadas que reproduzem as condições em que esse organismo cresce na natureza. Otimizamos umidade, luz e temperatura para garantir o crescimento dessa matéria-prima de maneira muito bem controlada”, diz a vice-presidente de desenvolvimento de produtos Jamie Bainbridge.

Segundo cálculos da própria empresa, se todas as fazendas de cogumelos do mundo fossem convertidas para a produção de colônias de micélio, a quantidade cultivada para a fabricação de couro sintético seria mais que suficiente para substituir todo o couro animal comercializado hoje no planeta.

Até agora, a empresa já produziu mais de 5 mil peças fabricadas com o couro sintético, com acabamento e relevo muito semelhantes ao couro animal. Todo o material foi desenvolvido e testado em parceria com grandes empresas, como a fabricante de produtos esportivos Adidas, que está prestes a lançar um tênis feito com couro de cogumelo.

Tênis da Adidas fabricado com couro de cogumelo (Imagem: Reprodução/Bolt Threads)

Vantagens

Embora a Bolt Threads não tenha divulgado números exatos sobre as emissões de gás carbônico para a produção do Mylo, estima-se que a liberação de poluentes na atmosfera seja significantemente menor pelo simples fato de que não é preciso criar o gado para a extração do couro natural.

“Criar uma vaca leva de um a dois anos e também é preciso cultivar a ração antes para alimentar todo esse gado, embutindo um grande impacto ambiental durante esse processo. Já a produção da matéria-prima do Mylo leva menos de duas semanas entre o cultivo e a colheita”, acrescenta Bainbridge.

Couro de cogumelo possui a mesma textura e é mais durável que o couro natural (Imagem: Reprodução/Bolt Threads)

Outra vantagem é que a fabricação do couro de cogumelo consome muito menos terra e água em comparação com a criação de gado. Além disso, pelo fato de o material ser um fungo e não a pele de um animal, ele precisa de menos produtos químicos para ser produzido em escala comercial.

“Existe essa noção entre os consumidores de que o couro é um material puramente orgânico. Na verdade, ele é cerca de 40% químico e 60% natural. Ao contrário, o micélio não apodrece, não precisa ser preservado da mesma forma e não necessita que um animal seja morto para virar peças de vestuário”, encerra Dan Widmaier.

Fonte: Bolt Threads

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.