Aparelho de baixo custo usa a luz do Sol para remover o sal da água do mar

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 30 de Abril de 2021 às 09h15
Reprodução/Envato

O planeta se chama Terra, mas 70% de sua superfície é coberta de água e a maior parte dela está nos oceanos e é salgada e imprópria para o consumo. A água doce representa apenas 2,5% desse total, o que torna a substância formada por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio uma das mais cobiçadas do mundo.

Uma solução para este problema pode vir do estudo publicado por cientistas chineses no Instituto Americano de Física, nos EUA. Eles desenvolveram um dispositivo movido a energia solar capaz de remover o sal da água.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“É um aparelho relativamente simples, que não requer altos investimentos e pode ser utilizado em grandes concentrações de água”, diz o professor Chao Chang, um dos responsáveis pelo projeto.

Esquema da unidade de dessalinização (Imagem: Reprodução/AIP)

Como funciona

O equipamento tem uma camada de óxido de nitreto de titânio (TiNO) capaz de absorver a energia que vem do sol. O TiNO é colocado sobre um tipo especial de papel impermeável que permite sua flutuação na água do mar.

O resto, a natureza se encarrega de fazer. Quando a luz solar atinge a superfície de titânio, ela aquece e vaporiza a água. Um recipiente de quartzo condensa e coleta o vapor, produzindo uma quantidade considerável de água doce.

"No campo da energia solar, TiNO é um revestimento absorvente solar comum, amplamente utilizado em sistemas solares de água quente e em unidades fotovoltaicas. Ele tem uma alta taxa de absorção solar e pode converter energia solar em energia térmica", explica o professor Chang.

Óxido de nitreto de titânio usado para absorver energia solar (Imagem: Reprodução/AIP)

A ideia

Os pesquisadores descobriram que era possível aplicar camadas de TiNO por meio de uma técnica conhecida como pulverização catódica de magnetron. Eles usaram um papel feito de fibras de madeira, muito utilizado na fabricação de fraldas descartáveis, para absorver a água salgada.

Com uma camada de TiNO na parte superior, um isolante térmico no meio e o papel poroso na parte de baixo, estava pronto o dispositivo movido a energia solar. Faltava apenas outra camada de isolamento, que foi feita utilizando uma espuma de polietileno com poros cheios de ar para reter o calor.

“O dispositivo também é ecologicamente responsável. O papel poroso usado como substrato pode ser reutilizado e reciclado mais de 30 vezes", diz o professor Chang.

Eficácia

A salinidade da água dos oceanos é de aproximadamente 35 gramas de sal por litro. Já água potável que sai da torneira, depois de passar por todos os processos de purificação, tem uma salinidade próxima dos 0,20 gramas por litro.

Dispositivo reduz a quantidade de sal na água do mar para menos de dois miligramas por litro (Imagem: Reprodução/AIP)

Nos testes feitos em laboratório, o dispositivo criado pela equipe do professor Chang conseguiu diminuir a quantidade de sal na água do mar para menos de dois miligramas por litro.

Atualmente, segundo a ONU, cerca de 2,2 bilhões de pessoas carecem de água potável em todo o planeta. Com um resultado tão promissor, combinado ao baixo custo de produção em grande escala, essa tecnologia de dessalinização movida a energia solar tem um potencial incrível para amenizar o problema da falta de água doce.

Fonte: AIP

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.