99 cria sistema de gestão inteligente de semáforos

Por Nathan Vieira | 15 de Outubro de 2019 às 20h45

Nesta terça-feira (15), a 99 entregou em Porto Alegre o projeto piloto de um sistema de gestão inteligente de trânsito chamado Mapa de Fluidez, parte de um acordo de cooperação assinado entre a empresa e a Prefeitura com o propósito de implementar ações que melhorem a mobilidade urbana na capital gaúcha.

Basicamente, esse Mapa de Fluidez dará informações sobre o trânsito atualizadas em tempo real, como a velocidade média dos automóveis nas ruas e avenidas, horários de maior movimento e desempenho semafórico. Além disso, a Prefeitura também poderá consultar o histórico desses indicadores e avaliar sua evolução. Com os dados fornecidos pela 99, a ideia é que os agentes públicos tenham mais ferramentas para intervir estrategicamente no trânsito e implementar melhorias para Porto Alegre, que atualmente conta com 1.300 semáforos em 2.800 quilômetros de vias.

Até o fim deste ano, chega também uma versão 2.0 da ferramenta, que fornecerá uma análise inteligente e sincronismo dos semáforos. "Os dados que o sistema mostra são provenientes do GPS dos motoristas conectados à plataforma e coletados a cada dois segundos, em média. Agregados, eles permitem uma visualização da velocidade média das vias praticamente em tempo real, o que agiliza a tomada de decisão e pode colaborar para a implementação de políticas públicas com estatísticas reais sobre a capital gaúcha, e não somente informações de aglomerados urbanos similares. É a fotografia em movimento da cidade para pensar o presente e o futuro com mais clareza", explica Miguel Jacob, gerente de Políticas Públicas na 99. Porto Alegre é a primeira cidade brasileira a receber esta tecnologia desenvolvida por técnicos brasileiros e chineses.

99 desenvolve sistema de gestão inteligente de trânsito chamado Mapa de Fluidez

Acontece que, na China, cientistas de dados estão trabalhando com governos locais em mais de 20 cidades para melhorar a eficiência dos sistemas de gerenciamento de transporte urbano usando tecnologia de big data e inteligência artificial. Em algumas localidades, como em Guangzhou, a gestão inovadora possibilitou redução de congestionamentos e aumento de 42,3% na velocidade média nos principais corredores de tráfego. "Isso tem interferência direta na qualidade de vida das pessoas. Uma cidade inteligente é mais fluida, integra modais e devolve tempo para os moradores", completa Jacob.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.