Roteador mesh da Intelbras promete sinal forte de internet por toda a casa

Por Thaís Augusto | 19 de Junho de 2019 às 19h35
Divulgação / Intelbras

Compartilhar a conexão de internet Wi-Fi usando sistemas convencionais pode ser a fonte de muita dor de cabeça: não há pacote de dados que aguente dezenas de dispositivos conectados ao mesmo tempo sem perder a qualidade de conexão. Se é assim que funciona na sua casa, eis aqui uma boa notícia: a situação está prestes a mudar.

Isso porque uma opção melhor que o repetidor de sinal – e beeem mais cara – começou a dar as caras no mercado. São os chamados roteadores mesh, que prometem ampliar o sinal de Wi-Fi sem perder a qualidade de conexão, mesmo em imóveis amplos.

No início do ano, a brasileira Intelbras lançou sua versão da tecnologia. De acordo com a empresa, o roteador Twibi permite que usuários conectem até 60 dispositivos na rede de forma simultânea. “Quando o usuário contrata uma conexão de 50 Mbps, quer a mesma velocidade em qualquer canto da casa”, afirmou o diretor da unidade de redes da Intelbras, Amilcar Scheffer. “É onde entra a nossa tecnologia”.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Em evento desta terça-feira (18), a Intelbras apresentou os equipamentos da marca que prometem garantir uma boa conexão para o usuário final, e que podem ser instalados de forma simplificada por qualquer pessoa. No caso do Twibi, a Intelbras diz que a tecnologia acaba com os pontos cegos, locais onde o sinal de Wi-Fi até chega, mas com dificuldade. Aqui, o problema mesmo é o preço: o modelo mais avançado do roteador pode chegar a custar quase R$ 1.000.

Twibi da Intelbras promete distribuir Wi-Fi com sinal forte por longas distâncias (Foto: Divulgação / Intelbras)

Além do mais, o produto ainda disputa espaço com o repetidor de sinal, que conta com um preço bem mais apelativo (a partir de R$ 30) e parece cumprir a mesma função – mas só à primeira vista: o repetidor pode até ampliar o sinal do usuário, mas não consegue manter a qualidade e a velocidade da conexão.

Basicamente, o equipamento funciona assim: o repetidor recebe o sinal do roteador, porém enfraquecido, e apenas o espalha para o espaço onde está localizado. E quanto mais longe do roteador, pior a velocidade. Na outra ponta, a Intelbras classifica a tecnologia mesh como a solução definitiva para "casas amplas que precisam de conexão em cada canto", mas a empresa também admite que o roteador mesh não é a primeira opção do consumidor.

"O Twibi é um produto um pouco mais caro por ser uma solução nova, com chipsets mais caros e possuir toda uma tecnologia embarcada. Naturalmente, [o equipamento] não é a primeira opção do consumidor. Primeiro, ele vai precisar sofrer com a falta de internet em algum ponto da casa e pensar 'Agora eu quero uma solução definitiva'", comentou o gerente de redes H&O da Intelbras, Aluísio Maykot.

Mesmo sendo um produto com a faixa de preço elevada, a Intelbras enxerga uma tendência positiva para o mercado de roteadores mesh e diz que os preços devem abaixar ao longo do tempo. Atualmente, 10% dos roteadores vendidos pela Intelbras são de rede mesh. Do outro lado, a empresa acompanha uma queda na venda de repetidores de sinal.

Com o Twibi, a rede passa a se comunicar por pontos que conseguem distribuir o sinal Wi-Fi igualmente por todo o ambiente. Para isso, ele conta com duas "caixinhas". Em uma delas, o usuário precisa conectar o cabo de internet, e a segunda caixa deve ser apenas ligada na tomada em um dos pontos cegos do imóvel. Elas se comunicam automaticamente depois de configuradas.

Caso exista uma distância grande entre as caixas, usuários recebem um alerta pelo aplicativo – que deve ser baixado para completar a instalação do mesh e que conta com recursos interessantes para o usuário. A função de Controle Parental é uma deles: com a ferramenta, pais podem controlar o acesso a sites e definir horários nos quais a criança pode navegar pela internet. Já a Rede de Visitantes evita que convidados de uma festa (ou até mesmo vizinhos) salvem a senha da sua rede principal, enquanto o Bloqueio de Usuários faz o que o nome sugere: restringe o acesso de terceiros a sua conexão. O aplicativo Wi-Fi Control Home está disponível para usuários Android e iOS.

Além disso, ao ampliar o sinal de Wi-Fi com qualidade, o roteador mesh abre as portas para a Internet das Coisas, desde a comunicação autônoma de carros até a assistência médica remota. Em 2020, a previsão é de que existam, aproximadamente, 20 dispositivos conectados à internet por residência no Brasil – em 2016, o número era de apenas cinco.

A Intelbras conta com dois modelos de roteadores mesh. A cobertura de área e a transmissão de dados são as principais diferenças entre os aparelhos. O Twibi Fast é a opção mais barata para o bolso do consumidor: ele consegue alcançar até 200 m² e aguenta conexões de banda larga de até 100 Mbps. O kit com duas unidades sai por R$ 499,90 e pode conectar até 40 aparelhos ao mesmo tempo.

Enquanto isso, o par de Twibis Giga consegue manter conexões acima de 100 Mbps em ambientes de até 360 m². Pelo kit com duas unidades, usuários precisam desembolsar R$ 979. O Giga pode suportar o uso simultâneo de até 60 dispositivos.

Atualmente, a Intelbras conta com 58% da participação de mercado de roteadores mesh no Brasil. A empresa disputa espaço com empresas como a Multilaser, que lançou sua tecnologia por R$ 489 com a promessa de cobertura de qualidade e sinal forte por até 200 m².

O bom e velho roteador Wi-Fi

Ainda que a Intelbras comece a entrar no mercado de roteadores mesh, o produto com tecnologia Wi-Fi ainda é o mais vendido. Durante evento, a companhia apresentou dois novos modelos de roteadores de alto desempenho da linha Action: o RG 1200 e o RG 1200, que acabam de chegar ao mercado.

Segundo a Intelbras, os roteadores são ideais para o streaming de vídeos em 4K e 8K, games e séries. Ambos os equipamentos contam com a Tecnologia AC, que suporta múltiplas conexões simultâneas e consegue atender a nova geração de Wi-Fi. "A internet que usamos não é mais a mesma, ela evoluiu muito nos últimos anos, especialmente após a chegada das plataformas de streaming de vídeos no Brasil e no restante do mundo", disse Maykot.

Design do RG 1200 vendido por R$ 299

De acordo com a Intelbras, o RG 1200 pode ser usado para planos de internet acima de 100 MB. O equipamento conta com portas Giga e permite que moradores de uma residência assistam a, por exemplo, TVs em HD simultaneamente. Já o modelo RG 1200 é mais modesto e se encaixa melhor para planos de até 100 MB.

Os dois roteadores têm maior velocidade e estabilidade nas frequências 2,4 GHz (até 300 Mbps) e 5 GHz (até 867 Mbps). Além disso, usuários podem usar as funções Controle Parental pelo aplicativo gratuito Wi-Fi Control Home. A Intelbras ainda diz que a instalação dos roteadores é simplificada e acontece pelo aplicativo, onde é possível gerenciar a rede remotamente. O RF 1200 tem preço sugerido de R$ 211,90. Já o RG 1200 custa a partir de R$ 299.

A necessidade de um sinal estável e veloz é sentida em todo o planeta: a quantidade de dispositivos conectados a uma rede IP supera em 3x o número da população mundial. "Existem sinais que mostram que estamos em um caminho irreversível: precisamos de mais velocidade e qualidade de serviço", afirmou Scheffer. Ele ressalta, entretanto, que além de um roteador bom, as provedoras de internet também precisam fornecer um serviço de qualidade.

Segundo a Intelbras, o mercado de rede é o nicho que mais cresce dentro da companhia, com uma alta de cerca 30% ao ano. E a Intelbras não para de crescer: até o final do ano, a empresa quer finalizar uma nova planta em Florianópolis para abrigar toda a sua linha de produção e começar a produzir o roteador mesh em território nacional.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.