Memória RAM ou SSD: qual upgrade é melhor para seu notebook?

Memória RAM ou SSD: qual upgrade é melhor para seu notebook?

Por Fábio Jordan | Editado por Léo Müller | 31 de Agosto de 2021 às 19h20
Rafael Damini/Canaltech

Boa parte da configuração de um notebook não pode ser modificada, o que significa que você geralmente terá o desempenho da sua máquina limitado ao processador e à placa de vídeo que escolher na hora da compra. No entanto, há maneiras de melhorar a performance do laptop através de um upgrade de memória RAM ou com a troca de um HD por um SSD.

Nesse tópico, uma dúvida muito recorrente é a seguinte: pensando em desempenho, é melhor colocar mais memória RAM ou um SSD acelerar ainda mais a máquina? E, aliás, qual tipo de memória e SSD é o mais recomendado para o seu laptop?

É claro que idealmente pode ser interessante fazer os dois upgrades, porém nem sempre isso é possível, uma vez que às vezes, por fatores financeiros, é preciso optar por um ou outro. Assim a resposta para esta questão depende essencialmente da máquina que você tem atualmente e dos aplicativos que você costuma usar no seu dia a dia.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No entanto, antes de partirmos direto para conclusões precipitadas, vale entendermos como funciona cada componente e de que maneira eles podem impactar na performance geral do seu notebook. Sem mais delongas, vamos falar de cada uma dessas peças!

Para que serve o SSD?

O SSD (unidade de estado sólido) é um dispositivo de armazenamento que tem a mesma função de um HD (disco rígido): guardar arquivos do sistema operacional, apps, documentos e jogos. No entanto, apesar dessa semelhança, tais componentes se diferem pela tecnologia interna, de modo que o SSD é muito mais eficiente na transferência de dados.

Enquanto o HD usa peças mecânicas (há discos girando dentro do HD), o SSD emprega chips eletrônicos. Com isso, o disco rígido tem certo atraso no acesso aos dados, já que é preciso vasculhar nos discos a região em que os arquivos estão guardados. Já o SSD se beneficie por ter um acesso instantâneo, pois um pulso elétrico permite encontrar qualquer informação.

Uma dúvida muito frequente diz respeito ao quanto de performance é possível ganhar com a troca de um HD tradicional por um SSD. No entanto, esta não é uma resposta simples, uma vez que tal comparação depende de acordo com os modelos analisados e com os apps ou tarefas em execução.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Falando em modelos, o SSD evoluiu muito ao longo das ultimas décadas, de modo que existem versões do tipo SATA de 2,5 polegadas (que têm formato similar ao do HD de notebook, inclusive usam as mesmas conexões), do tipo SATA M2 (que são bem pequenos e não necessitam de cabos, já que são instalados diretamente na placa-mãe) e do tipo NVME M2.

Eis aqui uma confusão que é preciso esclarecer. O padrão SATA não é apenas um tipo de conexão, mas sim um barramento, que são vias eletrônicas na placa-mãe. Portanto, um SSD SATA com formato convencional (que usa cabos) ou SATA com formato M2 tem alterações apenas nas dimensões do produto, já que as limitações de performance serão impostas pelo barramento.

Já os SSDs com tecnologia NVME que usam o formato M2 são completamente diferentes. Estes utilizam o barramento PCI-Express, que alcança taxas de transferência muito mais altas e, portanto, pode entregar melhor desempenho. Apesar de um SSD M2 SATA ser parecido com outro SSD M2 NVME, há diferenças nos contatos eletrônicos e, claro, na performance!

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Em termos práticos, há diversos testes espalhados na web que sugerem que o ganho de “velocidade” de um SSD do tipo SATA no comparativo com um HD tradicional pode ser de até 4 vezes. É claro que estes são dados teóricos e que levam em conta os melhores modelos, em que um HD alcança até 150 MB/s e um SSD chega próximo de 600 MB/s. Na

Já se compararmos o mesmo tipo de disco rígido com um SSD do tipo NVME M2, já compatível com o barramento PCI-Express 4.0, a velocidade do SSD pode ser de até 46 vezes maior que a do HD, uma vez que existem SSDs NVME que chegam a 7.000 MB/s. Isto significa que o computador pode ficar 40 vezes mais rápido? Não, mas há situações bem específicas em que a performance pode ser próxima disso.

Quando instalar um SSD?

1) Se você quer iniciar o Windows de forma mais rápida;

2) Se você quer abrir os programas em poucos segundos;

3) Se você quer sentir uma diferença geral na velocidade do PC. Sim, o SSD realmente causa um impacto enorme;

4) Quando o Windows começa a patinar e mostra 100% do disco em uso.

Quanto custa um SSD?

Assim como comentamos que existem diferentes modelos de SSD (entre SATA convencional, SATA M2 e NVME M2), há ainda mais opções quando consideramos as capacidades de armazenamento (que podem variar de 60 GB até mais de 2 TB), as mais variadas maras e respectivos modelos dentro de cada série.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Além disso, os preços podem variar muito de acordo com a época de compra, já que SSDs são produtos importados e têm seus valores ajustados conforme o câmbio do dólar. Em pesquisas recentes, nós percebemos que um SSD de 1 TB pode custar quase o dobro de um HD de mesma capacidade (num comparativo de peças para notebooks).

Qual SSD é o melhor para o seu notebook?

A escolha de um SSD para o seu computador vai depender essencialmente das suas necessidades. A primeira coisa a ser investigada é o quanto de espaço você necessita no seu laptop. Por exemplo: se atualmente você tem um HD de 500 GB e utiliza mais da metade do espaço disponível, é recomendado adquirir um SSD de 256 GB ou de 512 GB.

É claro que essa definição também varia de acordo com o tipo de notebook, pois há modelos que são compatíveis apenas com SSD SATA tradicional, de modo que você será obrigado a fazer a troca do HD pelo SSD. Há também notebooks que possuem conexões SATA comum e SATA M2, de modo que é possível manter o HD e apenas adicionar um SSD M2.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Em muitos casos, é recomendado fazer a seguinte configuração: um SSD de menor capacidade (128 GB ou 256 GB) para guardar o sistema (bem como os programas mais utilizados) e associar com seu disco rígido de maior capacidade (500 GB ou 1 TB) que pode guardar jogos e documentos maiores.

O mais importante no caso da escolha de um SSD do tipo M2, é averiguar a compatibilidade do notebook, se ele usa SATA ou NVME (já que nem todos os PCs são compatíveis com as duas tecnologias), para optar pelo modelo de melhor performance para a sua máquina. Quanto ao modelo especificamente, é preciso pesquisar reviews para conferir os resultados práticos.

SSD em oferta

Para que serve a memória RAM?

Agora que já sabemos os possíveis benefícios do SSD, vamos entender de que forma a memória RAM pode ajudar na performance do seu computador. Primeiro de tudo: qual é finalidade da memória RAM?

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Enquanto o HD ou o SSD guarda os arquivos de forma permanente (ou pelo menos enquanto você não os excluir), a memória RAM é tratada como uma memória de armazenamento temporária, que guarda os dados dos aplicativos em execução ou os dados temporários do sistema. Segue o raciocínio:

1) Quando você instala um programa, vamos pensar no Firefox, os arquivos são guardados no HD ou no SSD, lá na pasta Arquivos de Programa;

2) Depois, quando você dá dois cliques no ícone do Firefox, acontece o seguinte;

3) O Windows abre o arquivo executável e, assim que o estiver carregado o programa, imediatamente o Firefox começa a carregar a página do Canaltech;

4) Tudo isso de “carregar um programa”, “processar as informações de uma página” e outras coisas acontecem no processador, que é o componente responsável por fazer cálculos e comandar os dispositivos da máquina;

5) No entanto, para o processador fazer vários desses processos com arquivos temporários, ele precisa de uma memória de acesso rápida, portanto, o HD ou o SSD não são os mais recomendados para tais tarefas, uma vez que eles são lentos e podem fazer a CPU aguardar muito tempo até fornecer os dados necessários;

6) É nesta hora que entra a memória RAM. Ela é centenas de vezes mais rápida do que o HD, o que é ótimo, porque assim o processador pode executar tudo com rapidez.

Contudo, se você acessar o Gerenciador de Tarefas do Windows, é possível ver que quando acaba o espaço disponível na memória RAM, o sistema não fecha tudo e desliga (ainda que essa situação possa acontecer eventualmente).

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Nesses casos, o sistema usa um truque para quando tem um aplicativo pesado em execução: ele cria uma memória temporária dentro do armazenamento. Nessa hora, o Windows passa a usar o HD ou o SSD como memória RAM, e aí que a coisa começa a ficar lenta, porque ler os dados de um arquivo do Photoshop no Disco Rígido pode levar um bom tempo.

E é aqui que a gente entende a importância de ter uma quantidade mínima de memória RAM, pois quando há memória sobrando, o sistema raramente terá situações de lentidões, já que ele sempre pode contar com a memória RAM para todas as suas atividades.

Quando fazer upgrade de memória RAM?

  1. Quando você usa programas pesados e sente que o seu PC está lento;
  2. Quando você quer mais desempenho, afinal, com mais memória, você não precisa fechar apps em segundo plano;
  3. Quando você quer rodar algum jogo que tem como requisito uma quantidade superior de memória.

Em teoria, não há muito segredo. Se o seu notebook tem 4 GB e você quer melhorar a performance, em geral basta comprar mais 4 GB ou um módulo de 8 GB para a substituição. Contudo, é preciso ter atenção em alguns pontos:

  1. Confira se o seu notebook pode ser atualizado. Alguns laptops recentes usam memória soldada, ou seja, a memória fica “grudada” na placa e não pode ser trocada;
  2. Para saber se o seu notebook aceita mais memória, você pode acessar o site da fabricante;
  3. Procure instalar memórias em pares, em vez de um único módulo. Por exemplo: se você quer usar 8 GB, é melhor instalar dois componentes de 4 GB, em vez de um único de 8 GB;
  4. Neste caso, combine módulos de memória de mesma capacidade e frequência, assim você tem mais desempenho e evita problemas de compatibilidade.
    Quanta memória eu preciso no meu computador?

Não existe uma regra sobre uma quantidade específica de memória RAM, já que a quantidade varia de acordo com suas necessidades. Em geral, considerando os atuais sistemas operacionais e aplicativos disponíveis, uma boa quantidade de memória para garantir um desempenho satisfatório no dia a dia é de pelo menos 8 GB.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

No entanto, nada impede que seu computador funcione muito bem com 4 GB, já que a performance vai depender essencialmente das suas atividades. Dessa forma, se você costuma usar apenas o navegador, algum editor de textos e um player de músicas como o Spotify, é possível que você não precise nem mesmo instalar mais memória no seu PC.

Entretanto, se você começou a usar algum aplicativo mais pesado e sentiu uma queda de desempenho, pode ser que um upgrade seja essencial. Por exemplo: se você resolveu editar vídeos e optou por um programa capaz de fazer edições complexas em 4K (como o DaVinci Resolve), há chances de que 8 GB não entreguem uma experiencia satisfatória. Nesse caso, o upgrade para 16 GB será essencial para sua rotina.

Quanto custa mais memória RAM?

Tal qual falamos sobre os SSDs, os preços de novos módulos de memória variam de acordo com uma série de fatores, incluindo a capacidade, a frequência de operação e outros fatores, como a questão do câmbio do dólar, já que também são componentes importados e podem ter seus valores alterados com frequência.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Assim como outros tantos componentes do computador, também há uma série de marcas que fornecem memória RAM, sendo que cada fabricante pode ter diversas linhas e modelos para cada finalidade. Desta forma, para você ter noção do preço, é preciso definir as especificações básicas da memória (como capacidade e clock) e depois pesquisar os valores.

Memórias RAM em oferta

Então, memória RAM ou SSD?

Conforme nossos testes (que você pode ver no vídeo abaixo), o SSD é um upgrade que garante uma diferença substancial na velocidade geral da máquina, uma vez que muitos sistemas já trabalham bem até com 4 GB, de modo que o disco rígido acaba sendo um item que limita a performance da máquina, já que o processador precisa aguardar os dados do HD.

O SSD é a nossa recomendação de upgrade imediato, porém se você trabalha com aplicativos pesados e a memória RAM é um componente muito utilizado pelo app em questão, neste caso o upgrade de memória pode vir a calhar de imediato, pois ainda que os programas demorem para abrir, a execução das tarefas será melhor com mais memória RAM.

No fim das contas, o recomendado pode ser um upgrade nos dois componentes, mas aí tudo depende conforme sua condição financeira e se você encontrar as peças desejadas por valores aceitáveis.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.