Guia: como montar um PC intermediário para jogos

Por Pedro Cipoli

Saindo do básico, o preço dos componentes para montar um PC começa a subir bastante rápido. Ainda fica longe (bem longe) do investimento necessário para montar um modelo top de linha, mas não elimina o fato de que somente a CPU e a placa-mãe de um computador médio custam mais caro do que o PC básico inteiro que montamos. Contudo, o ganho de desempenho é bastante significativo, o suficiente para rodar boa parte dos jogos atuais em Full HD sem grandes problemas.

Processador: AMD FX-8370E

PC Médio

Já faz um tempo que a AMD não oferece uma arquitetura inédita, já que o novo (e altamente propagandeado) Zen demorará bastante para chegar ao mercado. Isso não significa que não existam boas opções por aí. É o caso do FX-8370E, que oferece melhorias internas para diminuir consideravelmente o TDP, que cai de 125 watts para 95 watts - mesmo trazendo oito núcleos (dentro de 4 módulos, já que vários componentes internos são compartilhados) e clocks até altos de 3,3 GHz (Turbo até 4,3 GHz).

Isso dá margem para duas coisas interessantes. A primeira delas é um funcionamento relativamente frio com um cooler apropriado, sem thermal throttling em condições “stock”. A segunda é ainda mais interessante, já que é possível extrair um desempenho extra significativo com overclocks controlados, pois a série FX é bastante famosa por alcançar frequências altas sem muito trabalho. Incluímos um cooler à parte nessa lista, já que os ganhos de desempenho são bastante diretos.

  • Preço: R$ 800

Cooler: Artic Freezer A11 AMD Edition

PC Médio

Um cooler relativamente barato capaz de suportar TDPs de até 130 watts, o que garante uma boa margem para overclocks ao FX-8370E. Além disso, como qualquer bom cooler para substituir o cooler-box, que espalha o ar quente dentro do gabinete, ele é vertical, então direciona o ar para as saídas de ar. Combinado com fans bem localizados, isso gera um fluxo de ar mais eficiente, ideal para jogar por horas a fio sem se preocupar com a “saúde” dos componentes internos.

  • Preço médio: R$ 100

Memória RAM: Kingston HyperX Fury 16 GB 1866 MHz

PC Médio

É basicamente o mesmo tipo de memória utilizado no PC de entrada para jogos que montamos, só que com o dobro de capacidade e com uma frequência de operação maior, além de trazer dissipadores de baixo perfil, não atrapalhando a instalação de coolers a ar. Os 16 GB garantem que qualquer jogo rode sem lags por falta de memória, além de suportar dois canais de memória.

  • Preço médio: R$ 590

Placa de vídeo: PNY NVIDIA GeForce GTX 960 4 GB

PC Médio

Demoramos um pouco para escolher entre a GTX 960 e a GTX 970, já que, por se tratar de uma configuração média, o custo-benefício tem um peso considerável. A GTX 970 flerta com o segmento de alto desempenho, custando quase o dobro de algumas implementações da GTX 960. Por outro lado, a GTX 960 traz apenas 2 GB de memória GDDR5 na maioria das implementações, já que a NVIDIA teve de segmentar as duas longe uma da outra.

A solução foi escolher uma implementação da GTX 960 com 4 GB de memória dedicada, como a edição da PNY, uma vez que a GPU consegue endereçar essa quantidade extra de memória e conseguir alcançar frame rates maiores diversos jogos, já que eles tiram proveito dessa quantidade extra. Além disso, a PNY usa o vapor chamber, jogando o ar quente diretamente para fora do gabinete. Ou seja: pode colocar ela para rodar no máximo sem preocupações.

  • Preço médio: R$ 1.400

Placa-mãe: Gigabyte GA-990XA-UD3

PC Médio

A Gigabyte oferece uma placa-mãe com soquete AM3+ (compatível com o FX-8370E) e chipset 990X com excelente custo-benefício. E o que ela tem de bom? Tudo o que a AMD tem de melhor, até o momento, com suporte a 4 conexões PCI Express (x16, x16, x4, x4), seis conexões SATA 3, 10 portas USB no painel traseiro (8 USB 2.0 e 2 USB 3.0), duas portas eSATA, seis saídas da áudio. Enfim, possibilita um bom grau de expansão para o usuário.

Diferentemente da placa-mãe do PC mais básico, oferece 4 slots de memória RAM com suporte a dual-channel e modelos DDR3 de até 2000 MHz (com um overclock na UEFI), além de possibilitar um controle bastante eficiente dos clocks, temperaturas limites e voltagens do processador, assim como a criação de perfis de uso. O único problema que observamos aqui é a versão 2.0 do PCI Express, mas que dificilmente compromete a GTX 960.

  • Preço médio: R$ 820

Fonte de alimentação: CoolerMaster G650M FullRange

PC Médio

Com a mesma proposta que usamos no PC básico, escolhemos um modelo com capacidade real de até 650 watts para suportar não só a configuração que montamos, mas também possibilitar expansões futuras (uma segunda GTX 960 em SLI, por exemplo), além de ser modular. E claro, de uma marca reconhecida pela qualidade, trazendo o selo 80 Plus Bronze de eficiência (até 85%. Hei, a conta de luz tá alta!) energética e proteções contra variações da rede elétrica: OVP, UVP, OPP, OCP, SCP e OTP.

  • Preço médio: R$ 400

Armazenamento: Seagate Barracuda 2 TB (ou SSD + HD de 1 TB)

PC Médio

É uma questão do que priorizar aqui: espaço ou velocidade. Com basicamente o mesmo investimento, o usuário pode escolher entre um disco de 2 TB, que é espaço de sobra, ou uma combinação entre SSD e um HD de menor capacidade, como 500 GB. No caso, esses 2 TB podem se transformar em um SSD de 128 GB e um disco rígido de 500 GB ou 1 TB, mas exigirá uma gerencia mais cuidadosa por parte do usuário, já que SSDs menores enchem rapidinho.

  • Preço médio: R$ 600

Gabinete: Cougar MX300

PC Médio

Quando aumentamos o poder de fogo de um PC, fazemos o mesmo com a quantidade de calor que ele gera, o que exige um gabinete com capacidade de lidar com isso. Um dos pontos a se observar, por exemplo, é o posicionamento da fonte de alimentação, que deve estar localizada na parte de baixo do gabinete, isolada do fluxo de ar quente, que naturalmente tende a subir. Outro ponto importante é um layout de FANs que possibilite um dimensionamento correto do fluxo de ar.

O MX300 da Cougar segue esses dois quesitos, oferecendo suporte para 2 FANs de 120mm na frente, outros 2 de 120 mm na parte de cima, um na parte traseira e outro na lateral. De quebra, traz a tampa lateral em acrílico transparente, porta USB 2.0 e grelhas de proteção contra a entrada de poeira.

  • Preço médio: R$ 250

Fans extras: 2x Sharknoon SharkBlades 120 mm

PC Médio

O Cougar MX300 suporta até 6 FANs de 120 mm, mas não vem com nenhum pré-instalado. Recomendamos, pelo menos, um na parte frontal (sucção) e outro na região traseira (exaustão), para permitir um fluxo mínimo de ar para a os componentes internos. Instalar os seis melhoraria ainda mais, mas depende muito dos overclocks que você pretenda realizar, não valendo a pena investir em coolers extras para um setup que não está gerando tanto calor. De qualquer forma, os Sharkblades da Sharnoon são uma excelente opção, sendo extremamente silenciosos e com um bom fluxo de ar de 33 CFM.

  • Preço médio: R$ 52 (R$ 26 cada)

Preço total: R$ 5.012. E o que é possível melhorar?

A configuração acima é excelente para qualquer usuário que pretenda rodar a maioria dos jogos em 1080p e vários filtros e efeitos ativos, mas conta com um bom potencial extra. No caso da CPU, o usuário pode optar por um cooler mais sofisticado, além de adquirir uma pasta térmica profissional para tirar o máximo de proveio do processador. Não dizemos isso nem pelo potencial de overclocks maiores, e sim para mantê-lo ainda mais refrigerado, garantindo que o modo Turbo fique ativo o máximo de tempo quanto possível.

Nos gráficos, o usuário pode escolher uma GTX 970, ou duas GTX 960, e em ambos os casos a fonte consegue suportar o consumo extra de energia. Em relação à refrigeração, é possível deixar o MX300 ainda mais bonitinho instalando FANs com LED, já que a tampa de acrílico permite que tudo seja visto nos componentes internos, dando um ar mais agressivo ao PC. Outro ponto é o armazenamento, que é facilmente customizável.

Nossa ideia era montar um PC que ficasse na casa dos R$ 5.000, de forma que SSDs de maior capacidade fariam com que o preço ultrapassasse facilmente esse valor. Mesmo que o usuário instale o sistema em um SSD primário e os jogos em um HD, recomendamos pelo menos 256 GB para o Windows, dando espaço para o sistema operacional respirar, já que 128 GB exigirá um gerenciamento constante do disco primário.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.