COVID-19 | AMD se une a outras empresas para fornecer equipamentos a cientistas

Por Felipe Ribeiro | 03 de Junho de 2020 às 17h15
AMD
Tudo sobre

AMD

Saiba tudo sobre AMD

Ver mais

A AMD, em parceria com a Penguin Computing, anunciou que a Universidade de Nova York (NYU), a Massachusetts Institute of Technology (MIT) e a Rice University serão as primeiras universidades que receberão sistemas completos de computação de alto desempenho e com tecnologia AMD. A fabricante, por meio do AMD HPC Fund para pesquisas relacionadas ao novo coronavírus, também revelou que ajudará as instituições com um sistema baseado na nuvem que, quando somado aos demais sistemas de computação, geram mais de sete pentaflops de poder para auxiliar no combate à COVID-19.

Espera-se que as universidades beneficiadas utilizem a nova capacidade de computação para atividades relacionadas à pandemia, incluindo genômica, desenvolvimento de vacinas, ciência da transmissão e modelagem. As instituições, por sua vez, estão preparando seus planos e infraestrutura de pesquisa agora para receber os sistemas, incluindo a definição de projetos de pesquisa específicos que podem ter impacto imediato e de longo prazo.

O fundo AMD COVID-19 HPC foi criado para fornecer às instituições recursos de computação para acelerar a pesquisa médica sobre a COVID-19 e outras doenças. Além das doações iniciais de US$ 15 milhões em sistemas de computação de alto desempenho, a AMD contribuiu com recursos técnicos e tecnológicos para quase o dobro de performance do sistema "Corona" no Laboratório Nacional Lawrence Livermore, que está sendo usado para fornecer energia computacional adicional para modelagem molecular em apoio à pesquisa da COVID-19.

União com outras empresas

Além da parceria com a Penguin Computing, a AMD se uniu com a DataBank, Nvidia e a Gigabyte para avançar na estruturação do combate à COVID-19. Entre as benesses tecnológicas, estão a otimização de aplicativos, inteligência artificial, análise e transferência de dados, processadores, armazenamento em nuvem, machine learning, entre outros.

Um exemplo prático pode ser visto na intervenção da Gigabyte, que está fornecendo seus nós de computação G290-Z21 para os clusters Penguin, construídos em torno de um único processador AMD EPYC 7642 de 48 núcleos, emparelhado com oito aceleradores de GPU Radeon Instinct MI50. Os nós de gerenciamento do sistema R182-291, também da Gigabyte, utilizam dois processadores AMD EPYC 7302 de 16 núcleos.

É cientista? Tem como participar!

Cientistas de todo o mundo que estão realizando pesquisas sobre a COVID-19 podem solicitar acesso ao cluster HPC em nuvem da AMD na Penguin Computing, enviando propostas para o email [email protected].

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.