Ataque virtual faz Louisiana declarar "estado de emergência"

Por Rafael Rodrigues da Silva | 29 de Julho de 2019 às 10h29

Em 2019, ciberataques são um tipo de ocorrência cada vez mais comum, e o último relatório da Kaspersky mostra que houve um aumento de 60% em golpes para roubo de senha no primeiro semestre deste ano. Mas as coisas estão um pouco fora do controle no estado de Louisiana, nos Estados Unidos.

Na última sexta-feira (26), o governador de Louisiana, Jon Bel Edwards, declarou “estado de emergência” devido a ataques do tipo ransomware, que bloquearam os telefones e o acesso a arquivos das escolas de três regiões metropolitanas do estado: as paróquias de Sabine, Morehouse e Ouachita). “Paróquia” é a palavra usada pelo estado de Louisiana para identificar suas regiões metropolitanas — por exemplo, dentro de Louisiana, a região da “Grande São Paulo” seria chamada de “Paróquia de São Paulo”).

Ataques do tipo ransomware são conhecidos por invadem os computadores de uma rede e bloquearem o acesso a arquivos e serviços daquela rede, exigindo o pagamento de um resgate (assim como em um sequestro) para que o cibercriminoso responsável pela invasão libere os arquivos infectados. Esse tipo de ataque é cada vez mais comum no mundo todo, mas o fator complicador neste caso em específico é o fato de acontecer em uma rede pública.

Quando esses ataques ocorrem em empresas particulares, é possível lidar com o caso sem revelá-lo para a imprensa, mas isso se torna impossível quando o alvo é uma rede de órgão público que afeta serviços essenciais de diversas cidades — e esse ataque está impedindo todo o processo de rematrícula nas escolas dessas três paróquias do Estado, o que significa que milhares de famílias não sabem se suas crianças estão ou não matriculadas para o próximo ano letivo.

Por conta da natureza crítica dos serviços, é bem provável que Lousiana pague aos criminosos o valor pedido para a recuperação dos arquivos da rede, e a declaração de um “estado de emergência” é um indicador de que esse pagamento deverá mesmo acontecer. Isso porque, ao declarar “estado de emergência”, um estado tem acesso a recursos federais destinados para o auxílio em emergências, e também pode pedir ajuda de agências governamentais para a resolução do problema. No momento, especialistas em cibersegurança estão trabalhando na recuperação dessas redes, mas a proximidade do início do ano letivo pode não dar a esses profissionais o tempo necessário para resolver a questão sem o pagamento do resgate.

O estado de Louisiana não é o primeiro a ser afetado por esse tipo de ataque. Um caso famoso aconteceu na cidade de Atlanta, onde um ransonware fez com que fossem perdidos diversos arquivos e evidências de processos criminais, inclusive de investigações ainda em andamento. De acordo com o governador John Bel Edwards, o estado de Louisiana continuará em “estado de emergência” até o dia 21 de agosto, ou até todas as redes afetadas serem restauradas.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.