Alunos são detidos após invadirem sistema de Universidade e alterarem suas notas

Por Redação | 02 de Junho de 2015 às 15h51
photo_camera Divulgação

A Polícia Federal está investigando um caso curioso que ocorreu na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Seis estudantes foram detidos sob a acusação de invadir o sistema da instituição e modificar notas de sete alunos.

Durante um período de doze meses, mais de 50 notas foram modificadas. "Teve um que teve 14 notas alteradas”, conta o delegado-chefe da Polícia Federal de Uberlândia, Carlos Henrique Cotta D'Ângelo. Além de serem indiciados por formação de quadrilha e invasão de sistema informatizado, cuja pena pode chegar a quatro anos, os alunos também podem ser expulsos da universidade.

A fraude foi descoberta por funcionários do centro de processamento de dados da universidade, que procuraram a delegacia após desconfiar da invasão do sistema. "Eles iam pelas redes do submundo da internet. Quando você ia pesquisar a máquina, batia endereços do leste europeu", explicou o delegado.

Após investigar os estudantes que tiveram suas notas alteradas, a polícia emitiu doze mandatos e ouviu seis alunos. Todos os acusados confirmaram a fraude e indicaram um estudante de ciências da computação como o culpado por descobrir uma brecha no sistema e alterar os dados. "Ele não cobrou, disse que fazia por amizade", explicou o delegado.

Essa não é a primeira vez que hackers invadem sistemas de instituições de ensino para alterar notas e favorecer alguém. Há alguns anos, uma mãe foi acusada de invadir o sistema da escola em que seus filhos estudam, na Pensilvânia, EUA, para alterar suas notas. Na ocasião, a mulher admitiu os atos e os classificou como não éticos, porém, não sabia que eram ilegais.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.