São Paulo continua em quarentena até o dia 31 de maio

Por Nathan Vieira | 08 de Maio de 2020 às 19h45
Reprodução/Flickr Governo de SP

Nesta sexta-feira (8), o governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a prorrogação da quarentena até o dia 31 de maio. Na prática, com essa decisão, apenas serviços essenciais estão autorizados a funcionar. A causa dessa prorrogação do isolamento é, basicamente, o aumento do número de casos e mortes pela COVID-19, já que o número de casos confirmados no estado é de 41.830, valor 5% superior ao registrado na quinta-feira (7). Quanto maior o tempo em que a taxa de distanciamento ficar abaixo de 55%, mais longa será a necessidade de manutenção da quarentena nos 645 municípios de São Paulo.

“Como Governador de São Paulo, eu gostaria de dar uma notícia diferente, mas o cenário é desolador. Teremos que prorrogar a quarentena até o dia 31 de maio. Queremos em breve poder anunciar a retomada gradual da economia, como está previsto no Plano São Paulo”, disse o governador. “O pior cenário é o que alia mortes e recessão. Adotar a quarentena, como fizemos aqui em São Paulo, não é uma tarefa fácil. Mas trata-se de proteger vidas no momento mais difícil e crítico da história deste país. A nossa decisão de prorrogar a quarentena é a decisão pela vida”, completou.

Quarentena em todo o estado de São Paulo está prorrogada até o próximo dia 31 (Imagem: Pixabay)

É válido perceber que a última reunião técnica dos 16 integrantes do Centro de Contingência do coronavírus aconteceu na última terça (5). A recomendação ao Governo do Estado pela extensão da quarentena foi unânime. Nos últimos 30 dias, o avanço da doença subiu 3.300% no interior e litoral e 770% na capital. “Não existe nenhuma dúvida, do ponto de vista do Centro de Contingência, de que essas medidas têm que ser prolongadas em virtude da gravidade do momento”, afirmou Dimas Covas.

Durante a coletiva na qual João Doria revelou a prorrogação da quarentena, dados de um estudo realizado por pesquisadores da USP e da Unicamp que indicam o impacto do isolamento na diminuição de óbitos no país foram apresentados. Em São Paulo, entre os dias 8 e 21 de maio, os pesquisadores estimam quem 3.346 vidas sejam salvas. Na região metropolitana da capital, a taxa de ocupação de leitos para pacientes de coronavírus é de 89,6% em UTI e 74,9% em enfermaria, enquanto os índices estaduais ficam em 70,5% e 51,3%, respectivamente. Para que São Paulo possa sair da quarentena sem colocar o sistema de saúde em risco, os índices de ocupação hospitalar por COVID-19 precisam ficar abaixo de 60%.

Essa não foi a primeira vez que o governador prorrogou a quarentena. Em 17 de abril, João Doria realizou uma live nas redes sociais ampliando o isolamento até o dia 10 de maio:

Fonte: Governo de São Paulo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.