Ubisoft está investigando acusações de assédio sexual entre seus funcionários

Por Rui Maciel | 26 de Junho de 2020 às 14h00
Tudo sobre

Ubisoft

Saiba tudo sobre Ubisoft

Ver mais

A Ubisoft afirmou nna última quinta-feira (25) que está investigando alegações de má conduta na empresa que, segundo relatos, se concentram em denúncias de assédio e abuso sexual.

Em comunicado divulgado ontem, a publisher de games afirmou: "Iniciamos investigações sobre as alegações [de má conduta] com o apoio de consultores externos especializados. Com base nos resultados, estamos totalmente comprometidos em tomar toda e qualquer ação disciplinar apropriada. Como essas investigações estão em andamento, não podemos comentar mais". A empresa não especificou quais eram as alegações.

O comunicado afirma ainda [leia ele na íntegra logo abaixo] que a Ubisoft se dedica à criação de ambientes de trabalho inclusivos e seguros, mas acrescenta: “É claro que ficamos aquém disso no passado. Nós devemos fazer melhor".

Segundo o site Polygon, embora a empresa não tenha citado funcionários específicos, foi confirmado na quarta-feira (24) que um funcionário de alto nível, mais precisamente o diretor criativo do Assassin's Creed, Ashraf Ismail, estava se afastando em meio a acusações de comportamento inadequado com mulheres.

Pelo menos outros dois funcionários da companhia francesa, Andrien Gbinigie, gerente de marketing de produtos e marcas e Stone Chin, diretor de relações públicas associado, também foram acusados ​​de assédio sexual e "comportamento predatório", de acordo com uma reportagem do site Gamasutra . A Ubisoft disse que estava "profundamente preocupada" com essas acusações em um comunicado enviado à página.

Sede da Ubisoft em Montreal, no Canadá (Crédito da foto: Wikipedia)

Outros atuais e antigos funcionários da empresa também foram acusados ​​de agressão, assédio e má conduta sexual em meio a uma enxurrada de alegações e revelações de vítimas de abuso nas indústrias de jogos, e-sports, quadrinhos e entretenimento.

Comportamento predatório

De acordo com o Gamasutra, houve diversos relatos online detalhando como Gbinigie abusou de sua posição de poder para manipular, assediar e agredir várias mulheres. Uma delas cita como o executivo a pressionou a retribuir seus avanços "paqueradores" e "comentários sexuais" aos 18 anos de idade. Logo depois, ele teria se desculpado pelo comportamento inicial, mas, mais de um ano depois, como ele voltou a carga e a teria estuprado em um evento da indústria.

O Gamasutra conta que, sobre a acusação de estupro, a vítima alega que Gbinigie pediu que eles se encontrassem com alguns amigos no saguão de um hotel antes de uma festa do setor de PAX. Gbinigie, no entanto, chegou sozinho e perguntou se eles queriam ir para o quarto de seus amigos onde, aparentemente, o resto do grupo estava esperando. A mulher teria seguido Gbinigie até a acomodação e, ao chegar, viu que não havia mais ninguém na sala.

"Ainda não estou pronto para reviver publicamente os detalhes íntimos, mas foi quando ele se forçou em cima de mim", relatou a vítima. "Não foi a experiência mais longa, pois, como ele disse na época, seus amigos estavam nos esperando - mas foi o suficiente para ele conseguir e mim o que ele claramente queria desde o início e me colocar no meu lugar ", escreveu.

"Demorou muito tempo e muita terapia para parar de ouvir as vozes e palavras que ecoavam meu cérebro - coisas como 'você deveria estar agradecida' - para me perdoar pelo fato de que, em um determinado momento, parei de lutar com ele e tentei suportar a experiência. Preciso lidar com o fato de que minha primeira experiência com sexo foi um estupro. Não foi a experiência mais longa, mas foi o suficiente para me ferrar até hoje."

Outras mulheres também compartilharam suas experiências pessoais com Gbinigie, destacando um padrão de comportamento abusivo e manipulador que vem de anos. "Ele me convidou para a Gamescom 2017, para vê-lo, para estar com ele. Uma vez que estávamos lá, ele dispensou um tratamento publicamente neutro em relação a mim. Logo depois, nós fizemos sexo. Mas, imediatamente após a Gamescom, ele me tratou com frieza e me largou. Me fez sentir insana por pensar que poderíamos ser mais. Ele me usou para o sexo, me fez pensar que eu era uma pessoa fácil ", afirma outro relato. "No final, ele foi até uma amiga minha, que trabalha com relações públicas, e mentiu para ela, disse que eu era mentalmente instável. Me desacreditou enquanto eu estava sentado lá me perguntando o que eu fiz de errado. Eu me senti uma idiota. Eu ainda me sinto".

Logo após a publicação da Gamesutra, Gbinigie postou uma resposta à alegação de estupro no Medium (que foi retirada pelo site) para "negar categoricamente e veementemente" a acusação, embora não tenha abordado - ou negado - qualquer das outras alegações feitas contra ele.

Alegações adicionais de má conduta sexual foram compartilhadas por terceiros. Mas, suas identidades foram mantidas em sigilo, para proteção das pessoas envolvidas, incluindo algumas que acusam o Stone Chin, antigo funcionário da Ubisoft. Ele é acusado, especificamente, de usar sua posição na equipe de relações públicas da Ubisoft para atacar várias mulheres, com muitas alegando que seu comportamento é um "segredo público" há algum tempo.

Chin ainda não emitiu uma declaração.

Confira abaixo a declaração emitida pela Ubisoft a respeito das questões de abuso:

Em relação às recentes alegações feitas contra alguns membros da equipe da Ubisoft: queremos começar pedindo desculpas a todos os afetados por isso - lamentamos sinceramente. Dedicamo-nos a criar um ambiente inclusivo e seguro para nossas equipes, jogadores e comunidades. É claro que ficamos aquém disso no passado. Nós devemos fazer melhor.

Começamos iniciando investigações sobre as alegações com o apoio de consultores externos especializados. Com base nos resultados, estamos totalmente comprometidos em tomar toda e qualquer ação disciplinar apropriada. Como essas investigações estão em andamento, não podemos comentar mais. Também estamos auditando nossas políticas, processos e sistemas existentes para entender onde eles foram quebrados e para garantir que possamos prevenir, detectar e punir comportamentos inadequados.

Compartilharemos medidas adicionais que colocaremos em prática com nossas equipes nos próximos dias. Nosso objetivo é promover um ambiente do qual nossos funcionários, parceiros e comunidades possam se orgulhar - um ambiente que reflita nossos valores e que seja seguro para todos.

Fonte: Reuters / Polygon / Ubisoft / Gamasutra

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.