Prévia | Mortal Kombat 11 está bem mais polido que antecessor

Por Felipe Ribeiro | 02 de Abril de 2019 às 12h11
Warner

Terminado o período de beta fechado em Mortal Kombat 11, pudemos ter uma boa noção do que o próximo game de uma das maiores franquias de luta de todos os tempos nos oferecerá daqui a algumas semanas. O intuito da NetherRealm com esta nova rodada de testes era mostrar um pouco mais do jogo para uma parcela dos jogadores que não havia participado dos experimentos de stress dos servidores. Para isso, liberou uma torre offline e o modo casual no online, além de cinco personagens jogáveis (Kabal, Scorpion, Scarlett, Baraka e Jade).

Mas, antes de ir para a porrada com outros jogadores, procurei sentir um pouco mais do jogo. Como estava com a memória fresca de Mortal Kombat X/XL, foi fácil identificar as mudanças na jogabilidade que, embora sutis, fazem a diferença para quem já tem todos os macetes desde MK 9, jogo que transformou história recente da franquia.

Por ser uma versão beta, o game ainda passará por um polimento final, portanto daremos uma visão prévia do que o jogador poderá encontrar em Mortal Kombat 11. E, é claro, a análise do jogo completo também poderá ser vista no Canaltech em breve.

Jogo mais cadenciado

Com poucos segundos já dá para perceber que Mortal Kombatw 11, pelo menos em sua versão beta, é um jogo um pouco mais cadenciado com relação ao seu antecessor. Isso nem de longe é ruim. Os combos parecem muito mais precisos e melhor encaixados, acontecendo com mais naturalidade e sem aquela sensação de apelação que muitas vezes a gente tinha nas outras versões do game. Uma pena para mim, que tinha como um dos golpes favoritos o 'pula e quica', que não poderei mais executá-lo de maneira simples. Ainda é possível emendar ganchos em dados momentos, mas não mais como antes.

Kabal e Baraka : dois personagens que voltam à franquia (Captura de tela: Felipe Ribeiro)

E mesmo em situações de pressão, a saída dos combos, os chamados "breakers", podem ocorrer de diferentes maneiras, seja com um counter, quando você executa um movimento logo após cair no chão, ou com o breaker mais tradicional, que pode ser acionado apertando pra baixo e RT (R2 no PS4).

O X-Ray, uma espécie de "especial" dos personagens, deu lugar ao "Fatal Blow". Agora, só é possível utilizar esse recurso em um determinado momento da luta, geralmente com a barra de sangue quase acabando.

Outro ponto bem interessante é a divisão do medidor de poder, localizado abaixo dos lutadores. Houve uma divisão que vai deixar a luta ainda mais estratégica, com as barras de boost para defesa e ataque sendo independentes.

Escolha - e monte - bem seu personagem

Algo que fora implementado de maneira mais simples em MK X/XL e que voltou ainda mais aprimorado em MK 11 é o estilo de cada lutador. Agora, além de escolher uma entre três diferentes maneiras que seu personagem vai lutar, é possível personalizar quais golpes especiais ele vai executar em cada uma das versões. Em geral, você pode equipar um golpe à distância (geralmente uma bola de energia ou o lançamento de um objeto), um que agarra e outro de velocidade. Também será possível acrescentar outros itens ao lutador, em um recurso bem parecido com o que vimos em Injustice 2. Mas isso, no beta, não estava disponível.

A parte estética também está bem mais completa e com muito mais opções de personalização. Na foto abaixo, por exemplo, dá pra notar uma enorme semelhança com o Kabal do Mortal Kombat 3. Há uma série de itens que podem ser desbloqueados e você poderá deixar seu lutador como bem entender.

Agora é possível escolher quais golpes cada estilo do personagem poderá executar (Captura de tela: Felipe Ribeiro)

Gráficos superiores

Outro ponto de destaque em Mortal Kombat 11 é a parte gráfica. O salto de um game para o outro foi enorme, quase tão grande quanto o de MK 9 para o X. A versão testada por aqui foi em um Xbox One X, ou seja, a melhor dentre os consoles. O HDR é muito bem utilizado e não há nenhum serrilhado aparente, o que indica que o jogo, pelo menos no console topo de linha da Microsoft, está rodando em 4K (ou próximo disso). Quanto à fluidez, essa é igual em todas as plataformas.

Brutal, não? (Captura de tela: Felipe Ribeiro)

Vale destacar, também, o capricho com os lutadores, que possuem movimentos muito mais realistas e naturais (se é que podemos dizer isso em um jogo como Mortal Kombat). Os Fatalities e os Fatal Blows (antigos X-Rays) estão ainda mais viscerais, com uma riqueza de detalhes na anatomia que chega a assustar (de verdade). Algumas animações também foram incluídas no meio da luta, sobretudo quando um contra-ataque é executado.

O que esperar

A 11ª primeira edição de Mortal Kombat deve ser a mais inclusiva e completa de todas. É notório o trabalho que a NetherRealm teve com o game, se preocupando muito mais em deixa-lo mais robusto e personalizável.

Mortal Kombat 11 será lançado para Xbox One, Playstation 4, Nintendo Switch e PC no dia 23 de abril e você, amigo leitor, terá todos os detalhes deste lançamento aqui no Canaltech.

Vocês também experimentaram o beta? Contem pra gente nos comentários!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.